Protesto nas delegacias expõe divergências entre as categorias da Polícia Civil


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 19/05/2014 às 9:11
Leitura:
Da Rádio Jornal Participam da operação escrivães, agentes, peritos papiloscopistas e comissários. Foto: arquivo/JC Imagem Participam da operação escrivães, agentes, peritos papiloscopistas e comissários. Foto: arquivo/JC Imagem A rotina mudou desde a zero hora desta segunda-feira (19) e deve continuar assim até a quarta-feira (21). Os profissionais dizem que só saem às ruas se tiverem coletes a prova de bala e com uma ordem de serviço por escrito. A mobilização, articulada em todo o país, conta com o apoio em Pernambuco dos comissários, agentes, escrivães e papiloscopistas. O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) divulgou nota oficial onde diz que a categoria não deliberou qualquer tipo de protesto. Para a tarde desta quarta-feira (21), está marcada uma caminhada da Praça Oswaldo Cruz até o Palácio do Campo das Princesas. O presidente da união dos escrivães diz que uma das reivindicações é o aumento de 225% na gratificação por risco de morte. O presidente da União dos Escrivães de Polícia de Pernambuco (Uneppe), Divanildo Gonçalves, afirma que a passeata visa denunciar as dificuldades vivenciadas pelos colegas de profissão:

Mais Lidas