Em Pernambuco, polícias Civil e Federal não aderem a mobilização nacional

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 21/05/2014 às 9:27
Leitura:
Da Rádio Jornal Foto: Alexandro Auller/Acervo JC Imagem Foto: Alexandro Auller/Acervo JC Imagem Apesar da articulação nacional para uma paralisação nesta quarta-feira (21), os policiais civis estão trabalhando normalmente hoje no estado. O repórter Rafael Carneiro esteve na delegacia de Santo Amaro, onde dois agente estão de serviço atendendo a ocorrências. Na tarde desta quarta-feira, policiais civis ligados ao Movimento pela Mudança realizam uma passeata pelas ruas do Recife. A caminhada acontece às 15h é será composta policiais que divergem na decisão do Sindicato da Polícia Civil de Pernambuco (Sinpol), que não aderiu ao movimento. A concentração será na Praça Oswaldo Cruz, no bairro da Boa Vista. Em Brasília, integrantes das polícias civil e federal, além de outros grupos, prometem participar de uma manifestação no Ministério da Justiça e na Praça dos Três Poderes. Outros estados avaliam a adesão ao ato. Os serviços da Polícia Civil vão funcionar no regime da operação padrão. Saiba mais na reportagem de Carlos Simões: Em entrevista ao comunicador do programa Supermanhã da Rádio JornalGeraldo Freire, o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, afirmou que o "o dia está absolutamente normal e que a polícia está na rua". De acordo com Alessandro, durante a greve da Policia Militar e dos Bombeiros no estado, o número de homicídios teve uma onda de alta, mas já voltou ao índice considerado normal. Na terça-feira (20), por exemplo, foram registrados quatro apenas assassinados em todo o estado. Sobre o reforço no policiamento, Alessandro Carvalho afirmou que a data final para as tropas da Força Nacional e do Exército continuam no estado até o dia 29, a não ser que o governador do Estado, João Lyra Neto, solicite a retirada do efetivo. O efetivo está em caruaru, Garanhuns, Petrolina e, principalmente, na Região Metropolitana. Ainda sobre a paralisação das polícias, o secretário afirmou que existe uma disputa interna entre os sindicatos da Polícia Civil. "Esperamos que essa disputa não prejudique a população", afirmou. Confira a entrevista completa abaixo:

Mais Lidas