Cerca de cinco mil profissionais de saúde vão atuar na Copa do Mundo no Recife


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/05/2014 às 15:33
Leitura:
Da Rádio Jornal  Foto: Guga Matos/JC Imagem A vigilância sanitária e epidemiológica estarão em portos, aeroportos e rodoviárias, no trabalho de identificação e bloqueio de surtos e epidemias
Foto: Guga Matos/JC Imagem

A Copa do Mundo deve atrair mais de 200 mil turistas nacionais e internacionais à Pernambuco durante os dias 9 de junho a 13 de julho. Todos os ingressos para as cinco partidas foram vendidos e o número de pessoas circulando fez a Secretaria Estadual de Saúde preparar um plano de ações para o evento.

Toda a rede de saúde do Estado vai estar disponível, assim como hospitais particulares, onde os profissionais passaram por capacitação para atender o público. Além dos 5 mil, servidores da saúde, mais 900 foram convocados para reforçar os plantões das unidades.

O Governo do Estado aposta na experiência, aplicada no carnaval, onde mais de 1,3 milhão turistas frequentam Pernambuco.

Dentro da Arena Pernambuco, sete pontos de atendimento da Fifa farão os primeiros atendimentos. A 600 metros, uma unidade avançada de apoio a saúde, vai estar à postos para atender de imediato intercorrências na zona de 1 quilômetro do estádio.

Um centro integrado de operações conjuntas da saúde vai operar na arena e na entrada da rede de saúde. Ele tem objetivo de monitorar e gerir informações de ocorrências.

A vigilância sanitária e epidemiológica estarão em portos, aeroportos e rodoviárias, no trabalho de identificação e bloqueio de surtos e epidemias.

A Lei Seca contará com nove equipes trabalhando na Região Metropolitana do Recife e no interior do Estado. E 212 profissionais vão fazer blitzes e testes de bafômetro.

A Secretaria Estadual de Saúde, Ana Maria Albuquerque, garantiu a eficiência do plano de ações da saúde. Confira os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro, da Rádio Jornal:

Mais Lidas