Iphan embarga a demolição dos galpões do Cais José Estelita

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/05/2014 às 8:00
Leitura:
Atualizada às 18h44 Acampamento-reúne-cerca-de-10-pessoas.-Foto-Rafael-CarneiroRádio-Jornal Foto: Rafael Carneiro / Rádio Jornal O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) embargou na tarde desta quinta-feira (22) as obras de derrubada dos galpões do Cais José Estelita, no bairro de São José, no Centro do Recife. Segundo o órgão, a paralisação das obras é uma medida de cautela até que a construtora Moura Dubeux apresente todos os documentos que ainda não foram entregues. A derrubada dos galpões começou na noite da última quarta (21), mas foi impedida por representantes do grupo Direitos Urbanos. Em entrevista à JC News com Rhaldney Santos, o superintendente do Iphan, Frederico Almeida deu mais detalhes sobre o embargo: A demolição dos armazéns do Cais José Estelita é uma das etapas de construção do projeto Novo Recife. O projeto, que prevê a construção de doze torres além de centro empresarial e hotel, é polêmico. A iniciativa é protagonizada pelo consórcio formado pelas construtoras Moura Dubeux, Queiroz Galvão e GL Empreendimentos. [O repórter Rafael Carneiro acompanha a movimentação na manhã desta quinta] A demolição dos galpões da antiga rede ferroviária federal é alvo de crítica de setores da sociedade civil organizada. O início do serviço, na noite dessa quarta-feira (21), mobilizou dezenas de ativistas e o clima ficou tenso, mesmo com a intervenção da Polícia Militar. estelita Foto: Hélia Scheppa / JC Imagem O trabalho foi suspenso na madrugada desta quinta-feira (22). Através da assessoria, o consórcio Novo Recife diz ter alvarás. Leonardo Cisneiros, integrante do coletivo Direitos Urbanos, critica a ação: A advogada Liana Cirne Lins diz que o alvará apresentado era uma "xerox colorida grosseira" e falso. 14241330612_b329911e6b_o O vereador Raul Jangmann (PPS) também esteve presente, durante a noite, no Cais, e foi um dos protagonistas de momentos de tensão com seguranças que tentavam garantir que os galpões fossem demolidos. Exaltado, gritava: "Me respeite que eu sou autoridade!" 396bb038ac6ff551ed4b7be444669904 Foto: Bobby Fabisack / JC Imagem Em entrevista à JC News, o vereador disse que a intervenção aconteceu porque homens armados intimidavam pessoas e o risco de conflito era grande. O ativista Sérgio Urt registrou Boletim de Ocorrência (BO) na Central de Flagrantes e fez exame de corpo de delito. Ele diz que homens da segurança privada o agrediram e apagaram imagens do celular dele.

Mais Lidas