Comitê estadual denuncia irregularidades em maternidades de Pernambuco

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 26/05/2014 às 16:40
Leitura:
cisam alexandre gondim - jc imagem Foto: Alexandre Gondim / JC Imagem O Comitê Estadual de Estudos sobre Mortalidade Materna apresentou, nesta segunda-feira (26), dados sobre o óbito de gestantes e de mulheres, 42 dias após o parto em Pernambuco. A divulgação aconteceu na sede do Conselho Regional de Enfermagem, no bairro da Boa Vista, e marca o Dia Mundial de Saúde da Mulher, comemorado na próxima quarta-feira (28). O comitê visitou sete maternidades públicas e conveniadas do Grande Recife junto a uma comissão formada por profissionais de saúde, ativistas e mulheres negras. A presidente do comitê, Regine Blander, afirma que muitas irregularidades foram encontradas, a exemplo da falta de estrutura e de acompanhamento no pré-natal e depois do parto. A última pesquisa sobre mortalidade materna foi feita em 2010 pela Comissão de Vigilância do Óbito Materno Brasileiro. Ela aponta que morrem cerca de 102 gestantes ou mulheres que deram a luz recentemente por 100 mil nascidos vivos em Pernambuco. Já no Brasil, acontecem 68 óbitos por 100 mil nascidos vivos. O país não deve conseguir alcançar a meta estabelecida pela Organização das Nações Unidas de reduzir em 75 % a mortalidade materna até o ano que vem. As denúncias feitas pelo comitê vão ser encaminhadas para as secretarias de Saúde estadual e municipal e também para o Ministério Público. Mais informações com a repórter Clarissa Siqueira:

Mais Lidas