Mesmo com ordem de reintegração de posse, segue ocupação no Cais José Estelita


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 30/05/2014 às 14:35
Leitura:
d ur Foto: Reprodução / Direitos Urbanos Mais de 200 ativistas mantêm a ocupação, iniciada há uma semana, na área do Cais José Estelita, na tentativa de evitar a demolição do espaço e rediscutir o projeto do consórcio Novo Recife, que prevê a construção de 12 edifícios de 40 andares. Nessa quinta-feira (29), a justiça concedeu liminar determinando a reintegração de posse, para retirada dos manifestantes, inclusive com uso de força policial. Mesmo com a expectativa de confronto, o clima, durante a manhã desta sexta-feira (30), foi de tranquilidade. Os jovens, a maioria estudantes universitários, se organizaram em uma verdadeira comunidade nestes dias. Improvisaram área para refeição, higiene pessoal, compostagem, e até um espaço de lazer, onde falas sobre o movimento dito Ocupe Estelita são organizadas. A arquiteta Cris Gouveia conta que os ativistas vão recorrer desta decisão, que eles julgam irregular. f ferro Foto: Reprodução / Direitos Urbanos Um dia após o início da ocupação, os ministérios públicos Federal e Estadual acionaram o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) que determinou a imediata interrupção das obras no Estelita. O embargo do Iphan está mantido. Pela manhã, o deputado federal Fernando Ferro, do PT, declarou que apoia o movimento. Moradores de ocupações nas comunidades Vila Sul, Vila Imperial e Realeza, no eixo Avenida Sul e Rua Imperial também estiveram presentes no Cais José Estelita. O movimento também defende que pelo menos 30% da área do cais, de mais de 10 hectares, seja destinada a habitações populares.

Mais Lidas