Movimento Ocupe Estelita vai recorrer da ordem de reintegração de posse

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 30/05/2014 às 9:50
Leitura:
A mobilização da sociedade civil organizada começou no dia 21 de maio quando teve início a demolição dos galpões. A liminar foi concedida pelo desembargador substituto do TJPE, Márcio Aguiar, nesta quinta-feira (29). Na manhã desta sexta-feira (30), a repórter Karoline Fernandes esteve no local para presenciar o clima da mobilização. Para uma das ocupantes do terreno, a arquiteta Cris Gouveia, diz que eles estão preocupados com a possibilidade de violência policial contra a manifestação. Confira a reportagem completa: O Projeto Novo Recife é um consórcio formado pela Moura Dubeux Engenharia e Queiroz Galvão além da Ara & GL Empreendimentos. São 12 prédios de até 41 andares no espaço onde ficam os antigos armazéns da Refesa, no Cais José Estelita. Na semana passada, a Justiça Federal e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) embargaram a demolição. Os ativistas passaram a noite de ontem e a madrugada desta sexta-feira (30) em assembleia definindo estratégias de mobilização. Para o promotor do Ministério Público de Pernambuco, Ricardo Coelho, a decisão é ilegal porque a segunda instância foi pronunciada antes que houvesse a decisão do primeiro grau. O desembargador, Márcio Fernando de Aguiar, que decidiu pela reintegração de posse do Cais José Estelita, comenta a interpretação de ilegalidade do MPPE.

Mais Lidas