Prefeitura do Recife marca Audiência Pública sobre projeto no Cais José Estelita

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 02/06/2014 às 10:10
Leitura:
Da Rádio Jornal Karina Bur em movimento cultural. Foto: Bobby Fabisak Karina Bur em movimento cultural. Foto: Bobby Fabisak Desde o dia 22 de maio, um grupo está acampado no terreno dos antigos galpões/armazéns da Refesa. A mobilização da sociedade civil organizada é contra o Projeto Novo Recife, orçado em R$ 800 milhões. São 12 prédios de até 41 andares no espaço no Cais José Estelita. Nesta segunda-feira (2), a repórter karoline Fernandes esteve no local para conversar com os manifestantes sobre o movimento. O consórcio é formado pela Moura Dubeux e Queiroz Galvão além da Ara & GL Empreendimentos. A demolição dos galpões foi suspensa por ordem da Justiça Federal bem como por uma decisão do Iphan. No entanto, a Justiça Estadual concedeu a reintegração de posse e a saída imediata dos ativistas do local. Neste domingo (1º), mais de cinco mil pessoas participaram da programação cultural com shows e atividades lúdicas. Leonardo Cysneiros, do grupo direitos urbanos afirma que a sociedade luta por algo positivo para todos: Sobre o tema, Geraldo Freire entrevistou o historiador, consultor e urbanista, Francisco Cunha. Para ele, o projeto Novo Recife é um projeto importante para a cidade e em ótima localização. Lembrou que o projeto vem da iniciativa privada e na legislação vigente. Em relação a audiência pública, Cunha disse que é ideal que o processo de negociação ocorra. "É fundamental o diálogo sobre o que é melhor para a cidade. Quanto mais se discute melhor. O projeto do ponto de vista legal é correto", completou. Elogiou ainda a postura do prefeito Geraldo Julio de confirmar uma reunião na Câmara de Vereadores.

Mais Lidas