Polícia acredita no envolvimento de uma quinta pessoa na morte do médico Artur Eugênio

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 05/06/2014 às 15:18
Leitura:
Ricardo B. Labastier  -JC Imagem Foto: JC Imagem O advogado Altamiro Fontes, responsável pela defesa do médico Cláudio Amaro Gomes, vai solicitar a justiça nesta quinta-feira (05) a revogação da prisão do suspeito de matar o cirurgião torácico Artur Eugênio de Azevedo Pereira, de 36 anos. Os dois suspeitos de envolvimento na morte do médico paraibano foram ouvidos de forma informal nesta quinta. O médico Cláudio Amaro Gomes e o filho dele, o bacharel em direito Cláudio Amaro Gomes Júnior, estão presos no Centro de Triagem, em Abreu e Lima, Cotel. De acordo com a polícia, Cláudio Gomes planejou a morte de Artur. Ainda segundo as investigações, o filho dele e outros dois suspeitos foram os executores. Segundo o advogado Altamiro Fontes, não há provas suficientes para incriminar o suspeito. A polícia encontrou R$ 21 mil em uma gaveta no consultório do médico Cláudio Amaro Gomes. O advogado dele, afirmou que a quantia é para pagar as despesas do consultório. O delegado Guilherme Caraciollo, responsável pelas investigações, informou nesta quinta, que uma quinta pessoa suspeita de participar do homicídio está sendo monitorada pela polícia. Inicialmente, a polícia trabalhava com a hipótese de quatro suspeitos terem participado do homicídio. Mas o delegado não disse quem é o quinto suspeito e também não detalhou o envolvimento dele no crime. A polícia afirmou ainda que testemunhas do caso foram ameaçadas de morte. Mais informações com o repórter Carlos Simões:

Mais Lidas