Funase abre sindicância para apurar tumultos no Cabo e em Abreu e Lima

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 16/07/2014 às 10:20
Leitura:
funase_abreuelima Foto: Mariana Dantas / NE10 Nessa terça-feira (15), internos de duas unidades da Funase realizaram rebeliões em pequenos intervalos de tempo. Ao todo, cinco adolescentes reeducandos ficaram feridos, dos quais quatro permanecem internados no Hospital da Restauração (HR). No Cabo de Santo Agostinho, os internos atearam fogo em roupas, lençóis e colchões do próprio alojamento. Dos cinco jovens, quatro saíram feridos. Luan de Oliveira, de 18 anos, está em estado grave, entubado e com 35% do corpo queimado. Fábio Lima Barbosa, de 19 anos e outro interno de 17 anos também sofreram queimaduras em 35% do corpo. Outro garoto de 17 anos, que teve 15% do corpo queimado, continua na unidade de trauma do HR por conta da lotação do setor específico. Marcos Barreto, médico chefe do Centro De Queimados do Hospital da Restauração afirma que o estado de saúde do grupo preocupa: Em Abreu e Lima, internos de quatro alojamentos da mesma ala iniciaram um quebra-quebra generalizado. Um garoto acabou ferido ao tentar impedir a entrada de policiais militares e agentes socioeducativos.O tumulto da terça-feira durou cerca de 20 minutos e foi registrado pelas câmeras de monitoramento. O Centro de Atendimento Socioeducativo do Cabo tem capacidade para 176 internos, mas abriga 414. Em Abreu e Lima, a situação não é diferente: são apenas 90 vagas para receber 209 adolescentes em conflito com a lei. Eutácio borges, presidente da Funase, apresenta a versão oficial para o tumulto na unidade de Abreu e Lima:

Mais Lidas