Conflito entre Rússia e Ucrânia deve aumentar com explosão de Boeing da Malasya Airlines

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/07/2014 às 8:42
Leitura:
Da JC News A tensão entre a Rússia e a Ucrânia deve aumentar com a explosão do Boeing-777 da Malasya Airlines, nesta quinta-feira (17). O voo comercial partiu de Amsterdã, na Holanda, em direção da Kuala Lumpur, na Malásia. Mas, durante o trajeto, caiu no leste da Ucrânia que é região controlada pelos separatistas pró-Rússia. O avião transportava 298 pessoas, sem relação alguma com os conflitos acontecidos entre os países. Um sistema de radar identificou um míssel Terra-Ar ser disparado e ir em direção ao Boeing pouco antes de acontecer a queda. Outro sistema de radar registrou um rastro de calor do míssel no momento em que o avião foi atingido. Os separatistas do leste da ucrânia já derrubaram ao menos dez aeronaves na região. A lista inclui helicópteros militares, aviões de transporte do exército e caças da força aérea, mas nenhum comercial. As aeronaves derrubadas pelos rebeldes na região, que usaram lança mísseis portáteis, voavam a baixa altitude, diferente do avião da malaysia, que estava a 10 mil metros de altura (33 mil pés). De acordo com o Eurocontrol, organização internacional que gerencia o tráfego aéreo na europa, o boeing da Malaysia voava cerca de 1.000 pés (300 metros) acima da faixa fechada do espaço aéreo no leste ucraniano. No entanto, o especialista em segurança internacional Gunther Rudzit diz que rebeldes ucranianos possuem mísseis Terra-Ar fornecidos pela Rússia com poder de abater um avião. O local é palco de conflitos entre o exército ucraniano e os rebeldes há meses, desde que o ex-presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovich, foi deposto em fevereiro deste ano. A tragédia aconteceu quatro meses depois do desaparecimento de outro avião da Malasya Airlines. Para discutir o assunto, os âncoras Antônio Martins e Graça Araújo conversam com o doutor em Direito Internacional Bruno Viana:

Mais Lidas