Morre, aos 73 anos, o escritor baiano membro da ABL, João Ubaldo Ribeiro


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/07/2014 às 8:53
Leitura:
Da Rádio Jornal Foto: reprodução/internet Foto: reprodução/internet Morreu na madrugada desta sexta-feira (18), o escritor baiano João Ubaldo Ribeiro. Ele faleceu em casa, no Leblon, Zona Sul do Rio, aos 73 anos. João Ubaldo nasceu na cidade de Itaparica (BA), em 23 de janeiro de 1941, era casado e tinha quatro filhos. A família ainda não definiu horários de velório e enterro. João Ubaldo Ribeiro estava há quase 21 anos ocupando a cadeira número 34 da Academia Brasileira de Letras (ABL), que também foi ocupada pelo Barão do Rio Branco, Lauro Müller, Dom Aquino Correia, Magalhães Júnior e Carlos Castello Branco. Formado em Direito desde 1962 pela Universidade Federal da Bahia (UFBA)eiro, ele nunca chegou a advogar. Entre 1990 e 1991, o escritor morou em Berlim, a convite do Instituto Alemão de Intercâmbio (DAAD Deutscher Akademischer Austauschdienst). Ele era pós-graduado em Administração Pública pela UFBA e mestre em Administração Pública e Ciência Política pela Universidade da Califórnia do Sul. Atuou também como jornalista, repórter, redator, chefe de Reportagem e colunista do Jornal da Bahia; além de colunista, editorialista e editor-chefe da Tribuna da Bahia. Foi colunista do jornal Frankfurter Rundschau, na Alemanha; colaborador de diversos jornais e revistas no país e no exterior, entre os quais, além dos citados, Diet Zeit (Alemanha), The Times Literary Supplement (Inglaterra), O Jornal (Portugal), Jornal de Letras (Portugal), Folha de S. Paulo, O Globo, O Estado de S. Paulo, A Tarde e muitos outros. OBRAS Romances Setembro não tem sentido - 1968 Sargento Getúlio - 1971 Vila Real - 1979 Viva o povo brasileiro - 1984 O sorriso do lagarto - 1989 O feitiço da Ilha do Pavão - 1997 A Casa dos Budas Ditosos - 1999 Miséria e grandeza do amor de Benedita (primeiro livro virtual lançado no Brasil) - 2000 Diário do Farol - 2002 O Albatroz Azul10 - 2009 Contos Vencecavalo e o outro povo - 1974 Livro de histórias - 1981. Reeditado em 1991, incluindo os contos "Patrocinando a arte" e "O estouro da boiada", sob o título de Já podeis da pátria filhos Crônicas Sempre aos domingos - 1988 Um brasileiro em Berlim - 1995 Arte e ciência de roubar galinhas - 1999 O Conselheiro Come - 2000 A gente se acostuma a tudo - 2006 O Rei da Noite - 2008 Ensaios Política: quem manda, por que manda, como manda - 1981 Literatura infanto-juvenil Vida e paixão de Pandonar, o cruel - 1983 A vingança de Charles Tiburone - 1990 Dez bons conselhos de meu pai - 2011 PRÊMIOS *Prêmio Golfinho de Ouro, do Estado do Rio de Janeiro, conferido, em 1971, pelo romance Sargento Getúlio; *Dois prêmios Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, em 1972 e 1984, respectivamente para o Melhor Autor e Melhor Romance do Ano, pelo romances Sargento Getúlio e Viva o povo brasileiro; *Prêmio Altamente Recomendável - Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil,1983, para Vida e Paixão de Pandonar, o Cruel ; *Prêmio Anna Seghers, em 1996 (Mogúncia, Alemanha); *Prêmio Die Blaue Brillenschlange (Zurique, Suíça); *Detém a cátedra de Poetik Dozentur na Universidade de Tubigem, Alemanha (1996). *Prêmio Lifetime Achievement Award, em 2006; *Prêmio Camões, em 2008.

Mais Lidas