Morre aos 87 anos no Recife, o escritor, poeta e dramaturgo paraibano Ariano Suassuna


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 23/07/2014 às 18:15
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizada à 5h20 em 24.07.14 Foto: reprodução/internet Foto: Reprodução/Internet Aos 87 anos, o escritor, poeta e dramaturgo paraibano Ariano Suassuna não resistiu a uma parada cardíaca oriunda das complicações de um AVC hemorrágico. Ele faleceu às 17h15 desta quarta-feira (23), na UTI do Hospital Português, no Recife. Ele deixa esposa, seis filhos, 15 netos e uma legião de fãs em todo o mundo. O enterro está previsto para as 16h desta quinta-feira (24), no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, Região Metropolitana do Recife. IMG_5416 Familiares e amigos no velório de Ariano Suassuna. Foto: Houldine Nascimento / Rádio Jornal O velório do corpo do escritor acontece no Palácio do Campo das Princesas, sede do Governo do Estado. O acesso ao local foi aberto ao público a partir das 23h, reunindo grande números de fãs. Familiares, amigos e personalidades da política compareceram à cerimônia. Fãs do artista paraibano também marcaram presença para prestar as últimas homenagens. Uma delas é Ivonete Rabelo, que foi aluna de Ariano Suassuna, a quem considera um mestre. Ouça a matéria de Houldine Nascimento: Mais cedo, vários familiares e políticos ligados a Suassuna passaram pela unidade de saúde, a exemplo do prefeito do Recife, Geraldo Julio, e do presidenciável Eduardo Campos. Ouça a homenagem da Rádio Jornal a Ariano Suassuna: Ariano Suassuna é autor de personagens famosos como Chico e João Grilo, da obra O Auto da Compadecida Foto: Reprodução/ Internet Ariano Suassuna é autor de personagens famosos como Chico e João Grilo, da obra O Auto da Compadecida. Foto: Reprodução/ Internet TRAJETÓRIA Ariano Suassuna era paraibano, mas se considera pernambucano também, alegando que o estado de nascimento é a mãe e o lugar onde cresceu e criou sua arte é o pai. Ele nasceu em 16 de junho de 1927, em João Pessoa, e viveu até os 15 anos no Sertão paraibano. É o autor de peças como O auto da compadecida, O Santo e a porca, que juntas se tornaram a minissérie (1999) e o filme (2000) O Auto da Compadecida. Também escreveu Uma mulher vestida de sol, com a qual ganhou o prêmio Nicolau Carlos Magno em 1948; Romance da pedra do reino e O príncipe do sangue do vai-e-volta que deram origem à minissérie A pedra do reino, com direção de Luiz Fernando Carvalho, exibida na Rede Globo em 2007; Fernando e Isaura, A pena e a lei e diversos outros. Na última sexta-feira (18), Ariano apresentou uma aula-espetáculo no Teatro Luiz Souto Dourado, em Garanhuns, Agreste pernambucano. O evento faz parte da programação do Festival de Inverno. Ariano é o sexto ocupante da cadeira 32 da Academia Brasileira de Letras e autor de obras como O Auto da Compadecida e A Pedra do Reino. HOMENAGEM Ariano Suassuna recebeu homenagens do Carnaval 2014 em um trono especial. Foto: Rafael Souza/Rádio Jornal Ariano Suassuna recebeu homenagens do Carnaval 2014 em um trono especial. Foto: Rafael Souza/Rádio Jornal No carnaval 2014, o Galo da Madrugada, maior bloco carnavalesco do mundo, homenageou o "paraibucano" com um enredo armorial. Em entrevista ao jornalista Rafael Souza, que foi um dos últimos a falar com Ariano Suassuna, ele não escondeu o orgulho de ser homenageado na terra onde escreveu sua história, dizendo que "foi a mais bela homenagem que já recebeu". Apaixonado pelo Sport, Ariano não vinha dando entrevistas devido ao seu frágil estado de saúde.

Mais Lidas