Menina encontrada morta no canal de Setúbal pode ter sido assassinada, diz IML


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 29/07/2014 às 6:27
Leitura:
Da Rádio Jornal Foto: Igo Bione/JC Imagem Foto: Igo Bione/JC Imagem O laudo preliminar do Instituto de Medicina Legal (IML) traz reviravolta no caso da menina de dois anos encontrada morta no canal de Setúbal, em Jardim Piedade, Jaboatão dos Guararapes. O corpo da pequena Alícia da Silva José de Barros foi sepultado nessa segunda-feira (28), no cemitério de Santo Amaro. Para o IML, a criança faleceu em decorrência de traumatismo crânio-encefálico, provocado por objeto contundente. Na versão inicial, a dona de casa Vera Lúcia Ferreira, mãe da menina, deixou a criança e a irmã gêmea sozinhas por alguns minutos. Agora, ela e o marido se sentem ameaçados pelos vizinhos, que não acreditam na história contada à polícia. A família residia no imóvel alugado as margens do canal de Setúbal há cerca de seis meses. A morte da menina de dois anos está sendo investigado pela Diretoria de Polícia da Criança e do Adolescente. Bruno Assis, padrasto da criança, diz que vai exigir uma apuração criteriosa por parte das autoridades policiais:

Mais Lidas