"A FUNAI não estava preparada", afirma antropólogo sobre contato dos índios

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 31/07/2014 às 18:50
Leitura:
A Fundação Nacional do Índio (FUNAI), tentou trocar objetos com os índios isolados, que foram encontrados no estado do Acre, na fronteira do Brasil com o Peru. Sobre o assunto, a JC News com Rhaldney Santos desta quinta-feira (31) conversou com o antropólogo da FUNAI, Terri Aquino, que atua há 39 anos na região. Os índios viviam isolados até pouco tempo e fizeram contato numa aldeia de apoio da FUNAI, no Acre, e tomaram a  iniciativa da comunicação. Diferente da política que o órgão estabelece, por proteção os territórios. Para o antropólogo, a Fundação não estava preparada para o contato os indígenas, pela fuga das tribos no lado no Peru. Em 2006, os índios já mantiveram contato, dessa vez, da fronteira do lado do Brasil para se defender de narcotraficantes, madeireiros, caçadores. Os povos relataram, ainda, que foram de massacres e violências por parte dos madeireiros e narcotraficantes. Ouça entrevista na íntegra:

Mais Lidas