Em exposição no Recife, público experimenta sensações de dançarinos no palco e nos bastidores de um espetáculo

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 06/08/2014 às 8:00
Leitura:
unnamed Exposição fica em cartaz até o dia 2 de novembro Foto: Ellen Carvalho / JC News Construir, sentir e olhar a dança é o que propõe a exposição que encerra as comemorações de dez anos do Recordança, o primeiro acervo digital de memória da dança no Brasil. O projeto trabalha com a digitalização de documentos e tem o objetivo de difundir o conteúdo e estimular a pesquisa na área. A exposição foi aberta, na noite dessa terça-feira (5), no Centro Cultural dos Correios, no Bairro do Recife. Durante a visitação, o público passa por três ambientes-conceito: os bastidores, o palco e a plateia, nos quais estão os diferentes elementos que compõem a cena da dança no Recife. Fotos, vídeos, figurinos e documentos históricos retratam vários momentos da dança na capital pernambucana desde a década de 1960. Em entrevista, Valéria Vicente, uma das curadoras do evento, Vinícius Gomes, ator, e Elis Costa, pesquisadora do acervo, falam da importância da pesquisa da dança e das sensações com a exposição: A exposição fica em cartaz até o dia 2 de novembro, sempre de terças a sextas-feiras, das 9h às 18h, e nos sábados e domingos, das 12h às 18h.

Mais Lidas