Funcionários da refinaria não aceitam nova proposta e greve continua

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 11/08/2014 às 11:22
Leitura:
Do JC Online 9f30b4579ed6a69043893ab91c0d00ce Foto: Igo Bione / JC Imagem Nem mesmo a nova proposta feita pelos patrões foi capaz de acabar a greve dos trabalhadores da Refinaria Abreu e Lima, em Suape, Grande Recife, deflagrada na última quinta-feira (7). Na manhã desta segunda-feira (11), durante assembleia, a categoria não aceitou a proposta de reajuste de 8% no salário e R$ 20 na cesta básica (que atualmente é de R$ 310) e decidiu permanecer em greve. O grupo pede reajuste de 13% no salário e aumento de R$ 310 para R$ 408 no valor da cesta básica. Os trabalhadores permanecem aguardando um posicionamento da Petrobras sobre o adicional de periculosidade de 20%. Isso já era um direito previsto, que não está sendo cumprido. Em todas as outras refinarias os trabalhadores têm esse direito garantido. Menos aqui, em Pernambuco, lembra o diretor de fiscalização do Sinteapav/PE, Leodelson Bastos. Inicialmente a proposta dos patrões era reajuste de 7,5%, mais R$ 10 na cesta básica. Diante da negativa, os patrões elevaram a proposta, fato que também não foi aceito pela categoria. Aproximadamente 30 mil pessoas trabalham na Refinaria Abreu e Lima. Outras informações com a repórter Daniela Venâncio:

Mais Lidas