Eduardo Campos morre em acidente aéreo em Santos

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 13/08/2014 às 12:40
Leitura:
Atualizado às 18h47 downloadaaaaa Eduardo Campos daria série de entrevistas no interior de São Paulo Foto: Acervo JC Imagem

O candidato à presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, era um dos passageiros que estava no jato particular que caiu, na manhã desta quarta-feira (13), em Santos, no litoral de São Paulo, e matou sete pessoas.

A caixa-preta da aeronave foi encaminhada para Brasília. Dez investigadores do Centro de Investigações e Prevenção de Acidentes Aeronáuticas (Cenipa) apurarão os fatores do acidente. A polícia já investiga as causas e eventuais culpados pela tragédia.

O velório de Campos será no Palácio das Princesas, segundo o governador João Lyra Neto (PSB). O enterro será no Cemitério de Santo Amaro, na Zona Central do Recife. As datas ainda não foram definidas, pois dependem da liberação do corpo pelo IML (Instituto de Medicina Legal).

15767_839051906136814_1227362105650151124_n Segundo aeronáutica, avião arremeteu por causa do mau tempo Foto: Tassio Ricardo/Arquivo Pessoal

O voo saiu do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, onde o candidato cumpriu agenda, nessa terça-feira (12), em entrevista ao Jornal da Nacional, da Rede Globo, com destino ao Aeroporto de Guarujá, em Santos, onde cumpriria uma agenda de visitas a meios de comunicação. Ele não compareceu a nenhum compromisso e o celular do candidato está desligado.

De acordo com informações da Aeronáutica, o jato do modelo Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, arremeteu devido ao mau tempo e, logo em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com o piloto.

LEIA TAMBÉM: Corpos de ocupantes do avião começam a ser resgatados

O repórter Romoaldo de Souza direto de Brasília, relembra a trajetória política de Eduardo:

 

A moradora da cidade de Santos, Thays Rocha, mora próximo ao local do acidente. Ela conversou com o âncora da JC News, Everson Teixeira. "Eu senti o chão tremer e um barulho muito forte", disse a moradora.

Thays disse que foi muito triste saber quem era a vítima. "Ontem, a gente tava vendo ele na Globo e eu até comentei com minha avó que uma opção de voto seria ele", disse a morador. "Foi uma coisa que ninguém esperava. Podia ser qualquer pessoa, mas ontem ele tava bem, tava dando entrevista e hoje já não tem mais", completou Thays.

Confira a entrevista:

REPERCUSSÃO O senador Cristóvão Buarque do PSB, afirmou estar perplexo com a notícia. "Os adversários (políticos) dele também devem estar muito perplexos e sem rumo", enfatizou o senador. Confira a entrevista concedida ao âncora Everson Teixeira:

O candidato ao governo de Pernambuco, Armando Monteiro (PDT) destacou o amor que  Eduardo Campos tinha pela família. "Apesar da vida muito exigente, que é a vida pública, ele nunca deixou de dar à família uma atenção especial", falou o candidato. Ouça a entrevista com o âncora Rhaldney Santos:

TRAJETÓRIA  Foto: Heudes Régis/JC Imagem
Foto: Heudes Régis/JC Imagem

Eduardo Campos nasceu em 1965 e era neto de um grande nome da política nacional, o ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes. Iniciou a vida política ainda na década de 1980, ao lado do avô. Foi candidato a prefeito de Recife, já foi deputado Federal e ministro da Ciência e Tecnologia no primeiro mandato do presidente Lula.

Ávido por mudanças, em 2006 se lançou como candidato ao Governo de Pernambuco, numa campanha em que aparecia nas primeiras pesquisas em posições pouco favoráveis. Com o início da campanha foi ganhando espaço e desbancou Humberto Costa, candidato do PT, à época e chegou ao segundo turno, quando disputou e saiu vitorioso na disputa com Mendonça Filho (DEM).

Eleito para um segundo mandato em 2010, o governador apresentou a maior eleição na história da democracia brasileira: mais de 80% dos votos válidos para governador em Pernambuco foram para Campos.

O socialista, presidente do PSB, deixou cargo de governador no início de 2014 para se dedicar à campanha presidencial, entrando em embate direto com o PT, que começou ainda no pleito municipal de 2012, quando o partido socialista decidiu lançar candidato próprio para Prefeitura de Recife. Em novembro de 2013, o PSB resolveu entregar todos os cargos que ocupava no governo federal, deixando de vez a base governista.

Recentemente, Eduardo Campos desferia várias críticas à presidente Dilma Rousseff (PT), porém sempre se mantendo com reservas ao falar do ex-presidente Lula, um de seus padrinhos políticos.

Campos se lançou candidato a presidente numa chapa com a ex-ministra do meio ambiente, Marina Silva (PSB/REDE), terceira colocada na eleição presidencial de 2010, quando conquistou 20 milhões de voto.

Eduardo Campos deixa cinco filhos, além da viúva Renata Campos. No último feriado do Dia dos Pais, Campos também comemorou o aniversário de 49 anos. Para parabenizar o pai José, João, Pedro, Maria Eduarda e o bebê Miguel, gravaram um vídeo onde enaltecem a figura paterna de Eduardo. Confira:

LEIA MAIS Eduardo Campos morre em acidente aéreo em Santos

Mais Lidas