Ex-governador Eduardo Campos morre em queda de avião que ia do Rio de Janeiro a São Paulo


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 13/08/2014 às 12:54
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizada em 14.08.2014 às 15h24 baner eduardo Ainda sobre clima de pesar pelo falecimento do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, lideranças políticas próximas ao socialista e familiares cuidam dos procedimentos para traslado dos corpos e suputamento das vítimas. Eduardo Campos, seu assessor de Imprensa, Carlos Percol, o fotógrafo, Alexandre Severo, e o cinegrafista Marcelo Lyra morreram em acidente aéreo ocorrido na manhã da quarta-feira (13), em Santos (SP). Também faleceram na tragédia o assessor político, Pedro Valadares, e os dois pilotos do avião, Geraldo Magela Cunha e Marcos Martins. O velório de Eduardo Campos será no Palácio das Princesas, segundo o governador João Lyra Neto (PSB). A cerimônia será coletiva e realizada na Praça da República. O enterro de Eduardo Campos será realizado no Cemitério de Santo Amaro, na Zona Central do Recife, no próximo domingo (17), às 16h. A reportagem da Rádio Jornal está acompanhando as investigações sobre o acidente aéreo, bem como os preparativos para o traslado dos corpos das vítimas. Os repórteres do SBT, João Fernandes e Marcelo Carrião, trouxeram as últimas informações diretamente do local do acidente, em Santos, litoral paulista e relataram o que presenciaram sobre o andamento das investigações. Em entrevista a Rádio Jornal, o governador de Pernambuco, João Lyra Neto, explicou que viaja nesta quinta para São Paulo, onde conversará com o governador do Estado, Geraldo Alckmim, sobre o cronograma de despedida das vítimas. Ele também conversou com as famílias sobre os procedimentos. Também em entrevista a Rádio Jornal, o prefeito do Recife, Geraldo Julio, comentou os difíceis momentos que todos estão passando. De acordo com ele, as vítimas e as famílias das vítimas estão recebendo o mesmo tratamento que o ex-governador Eduardo Campos e sua família estão recebendo. Muito emocionado, o ex-deputado Federal e coordenador da campanha presidencial de Eduardo campos, Maurício Rands (PSB), comentou a enorme tristeza que está sentindo pela perda do amigo. Ele está em São Paulo e tem acompanhando o resgate dos restos mortais e dos fragmentos do avião. Em relação as decisões políticas que serão tomadas para nortear os rumos da disputa presidencial, Rands disse que "o momento de pensar nas eleições não é agora. Ainda estamos nos reconfortando e tentando reconfortar as famílias". A TRAGÉDIA Crédito: Valmir Lima/ Ouvinte JP Crédito: Valmir Lima/ Ouvinte JP O candidato à presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, era um dos passageiros que estava no jato particular que caiu, na manhã desta quarta-feira (13), em Santos, no litoral de São Paulo, e matou sete pessoas. O voo saiu do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, onde o candidato cumpriu agenda, nessa terça-feira (12), em entrevista ao Jornal da Nacional, da Rede Globo, com destino ao Aeroporto de Guarujá, em Santos, onde cumpriria uma agenda de visitas a meios de comunicação. A caixa-preta da aeronave foi encaminhada para Brasília. Dez investigadores do Centro de Investigações e Prevenção de Acidentes Aeronáuticas (Cenipa) apurarão os fatores do acidente. A polícia já investiga as causas e eventuais culpados pela tragédia. A confirmação de que Eduardo Campos estava no avião foi dada pelo secretário de Imprensa de Pernambuco, Ivan Maurício. Morreram em acidente com Eduardo os pernambucanos Carlos Percol, jornalista; Alexandre Severo, Fotógrafo; e Marcelo Lyra, cinegrafista. faleceram ainda Pedro Valadares, da direção do PSB nacional, e os dois pilotos do avião, Geraldo Magela Barbosa da Cunha e Marcos Martins. De acordo com informações da Aeronáutica, o jato do modelo Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, arremeteu devido ao mau tempo e, logo em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com o piloto. Nesta mesma data, há nove anos, morria Miguel Arraes, avô de Eduardo Campos. A presidente Dilma Rousseff emitiu nota de pesar e decretou luto oficial de três dias. Atividades culturais e esportivas no estado também tiveram datas alteradas. As bandeiras do Palácio do Campo das Princesas estão a meio mastro em sinal de luto. Confira as despedidas de personalidades políticas de todo o país. A reportagem da Rádio Jornal acompanhou a dor da perda do ex-governador do Estado, tanto em Pernambuco quanto em Brasília. Acompanhe as últimas informações abaixo: Em coletiva de imprensa realizada no Palácio do Campo das Princesas, o governador de Pernambuco, João Lyra Neto, expressou o pesar pela morte de Eduardo Campos. "Que a vida dele sirva de exemplo para todos nós", afirmou o político. O governador decretou luto oficial de sete dias no Estado.  A movimentação na casa do ex-governador Eduardo Campos foi intensa durante todos os momentos. Familiares, amigos e políticos estiveram no local. unnamed1XLSHCFC Foto: Vanessa Falcão/Rádio Jornal unnamedRYQ11ET4 Foto: Vanessa Falcão/Rádio Jornal O Arcebispo de Olinda e Recife esteve na residência do presidenciável para prestar solidariedade à família e celebrará a missa de corpo presente das vítimas. ÚLTIMOS MOMENTOS Na última entrevista de Eduardo Campos à Rádio Jornal, o comunicador Geraldo Freire abordou os planos do candidatos para o caso de ser eleito. Ele também declarou posição firme em ser contra a redução da maioridade penal. Relembre abaixo ou clique aqui: Reveja como foi o último dia de Eduardo Campos como governador de Pernambuco PERSONALIDADES LAMENTAM A MORTE TRÁGICA DE EDUARDO CAMPOS A presidenta da República, Dilma Rousseff , a candidata à vice-presidente, Marina Silva, e o candidato à presidência da República, Aécio Neves, lamentaram a perda do ex-governador de Pernambuco, em pronunciamento: Personalidades políticas pernambucanas também se manifestaram  sobre a tragédia: Veja também: Aeronáutica já começou a investigar acidente com Campos Ávido por mudanças, Eduardo Campos deixa legado por ideais de luta

Mais Lidas