Caixa preta do avião que caiu e matou Eduardo Campos será analisada nos Estados Unidos


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/08/2014 às 12:19
Leitura:
Da Rádio Jornal Foto: reprodução/internet Foto: reprodução/internet Caixa preta do jato que caiu e matou Eduardo Campos e outra seis pessoas será analisada nos Estados Unidos. A informação foi dada, nesse domingo (17) pelo governador de Pernambuco, João Lyra Neto, ao blog de Jamildo. O Cessna 560 XL prefixo PR-AFA caiu na rua Vahia de Abreu, no bairro do Boqueirão, região central de Santos, em São Paulo. A aeronave com cinco passageiros e dois tripulantes saiu do aeroporto Santos Dummont, no Rio de Janeiro, com destino a Santos. A torre de comando perdeu contato minutos depois da arremetida manobra quando a aterrissagem não é considerada segura. Chovia no momento do acidente, na manhã da quarta-feira (13), e o último contato do piloto Marcos Martins foi este: Foto: reprodução/internet Foto: reprodução/internet Treze residências foram atingidas pelo jato tido como um dos mais modernos e fabricado nos Estados Unidos. Em mais um flagrante, confira agora o desespero dos moradores do Boqueirão com a tragédia aérea: A principal apuração do acidente é de responsabilidade do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos. A caixa preta do jato Cessna foi analisada pelos técnicos do Cenipa, órgão da aeronáutica, e o resultado surpreendeu: o equipamento não registrou o áudio da cabine da aeronave. Uma equipe dos Estados Unidos está no Brasil para auxiliar nas investigações do acidente. Entre os mortos, está o piloto Marcos Martins, 42 anos, e mais de sete mil horas de vôo. Em entrevista ao Fantástico, da Rede Globo, a viúva Flávia Martins lembra da despedida: O corpo do co-piloto Geraldo Magela da Cunha, de 44 anos, também foi sepultado. A viúva Josilene da Cunha, grávida de 7 meses e mãe de uma criança de quatro anos também falou na TV:

Mais Lidas