Presidente do PSB, Roberto Amaral, manifesta apoio à candidatura de Renata Campos

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/08/2014 às 14:51
Leitura:

Da Rádio JC News

 Multidão acompanhou reunião da Frente Popular  Foto: JC Online
Multidão acompanhou reunião da Frente Popular
Foto: JC Online

A reunião da Frente Popular, realizada na Blue Angel Benfica, reuniu militantes e lideranças políticas do PSB e de outros partidos que fazem parte da coligação. O encontrou chegou ao fim após o discurso da viúva Renata Campos.

Renata leu um texto de três a cinco minutos em que manifestou o apoio da família para eleger Paulo Câmara, Raul Henry e Fernando Bezerra Coelho, aqui em Pernambuco. Esta reunião já estava agendada antes do acidente que matou o ex-governador Eduardo Campos, e daria o ponta pé inicial da terceira fase da campanha.

Sobre o nome de Marina Silva como candidata à presidência pela chapa a decisão fica a cargo da executiva nacional. No encontro, os correligionários pediam a candidatura de Renata Campos. Eles gritavam "Renata para presidente". Inclusive o presidente interino do PSB, Roberto Amaral, também manifestou apoio. No discurso de Amaral, ele apontou que Renata se configura como uma das principais lideranças do PSB.  Como resposta, a viúva de Eduardo apenas sorriu. Renata não falou com os jornalistas.

Confira os detalhes no flash de Lélia Perlim:

O Partido Social Liberal (PSL), se manifestou sobre o apoio à candidatura de Marina Silva pelo PSB. A sigla acredita que ex-senadora não vai cumprir os acordos firmados por Eduardo Campos, e por isso não vai votar em Marina.

O presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, conversou com o âncora Wagner Gomes nesta tarde (18). "A gente não pode votar a favor de Marina pelo simples fato emocional", lembrou o presidente. Ele destacou que se os compromissos firmados com Eduardo não foram reafirmados certamente a sigla sairá da coligação.

Confira  a entrevista completa:

LEIA TAMBÉM: Presidente do PPS, Roberto Freire, quer Marina Silva como candidata à presidência

O presidente nacional do Partido Humanista da Solidariedade (PHS), Eduardo Machado, também conversou com o âncora Wagner Gomes sobre a insatisfação da sigla em apoiar a candidatura de Marina. Ouça:

Mais Lidas