Justiça autoriza uso da imagem de Eduardo nas campanhas adversárias da Frente Popular

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 19/08/2014 às 8:42
Leitura:
1580707354e0c996ef33523094dfed5b Foto: Alexandre Gondim / JC Imagem Partidos que não são da Frente Popular vão poder usar a imagem do ex-governador Eduardo Campos, na campanha. A decisão foi tomada, nessa segunda-feira (18), pelo desembargador eleitoral José Ivo de Paula Guimarães. O pedido de liminar foi protocolado pelo advogado José Henrique Wanderley Filho, em nome da viúva Renata Campos e os cinco filhos. A ação cautelar solicitava a proibição de imagem ou som relacionado a Eduardo Campos nas propagandas eleitorais dos adversários do PSB. O desembargador tomou a decisão com base no artigo 53 da lei das eleições, que veda a expressamente a censura prévia. A família Campos não informou se vai recorrer da decisão já que cabe recurso dentro do prazo legal. E começou, nesta terça-feira (19), o horário eleitoral gratuito. No rádio, ele vai das 7h às 7h50. Outra exibição acontece das 12h às 12h50. Na televisão, as exibições vão das 13h às 13h50 e das 20h30 às 21h20. Nas terças, quintas e sábados, o espaço é destinado aos candidatos a presidente e deputados federais. Já nas segundas, quartas e sextas, o tempo é dedicado aos postulantes aos governos de estado, senado e as assembleias legislativas. O primeiro bloco de 25 minutos dedicados à corrida presidencial é aberto pela coligação Unidos Pelo Brasil, com uma homenagem a Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco, morto no acidente aéreo em Santos, na semana passada. Na disputa estadual, a ordem de apresentação começa com Paulo Câmara (PSB), seguido de Jair Pedro (PSTU), Zé Gomes (PSOL), Miguel Anacleto (PCB), Armando Monteiro (PTB), e pantaleão (PCO), totalizando 25 minutos. O juiz da propaganda eleitoral, Alexandre Pimentel, afirma que toda irregularidade será combatida de imediato: Em entrevista à JC News com Joffre Melo, o cientista político Hely Ferreira fala sobre a importância do guia eleitoral e do impacto da escolha de Marina Silva para liderar a chapa do PSB:

Mais Lidas