Ministério Público decide manter animais presos no minizoológico do Parque 13 de Maio

Da Rádio Jornal

Com informações do JC Online
Foto: Hélia Scheppa/ JC Imagem
Foto: Hélia Scheppa/ JC Imagem
O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) voltou atrás da decisão de retirar os 65 animais silvestres que vivem no Parque 13 de Maio,  como havia sido decidido em abril deste ano. O promotor Ricardo Coelho tomou a decisão após o Ibama ter vistoriado o minizoológico e concluído que os bichos estão “bem cuidados e adaptados”. Mesmo assim, as jaulas terão que ser ampliadas e passar por melhorias para garantir a permanência dos animais. Outra condição para a manutenção do espaço é o cadastro de todos os animais no Ibama. As reformas devem ser realizadas pela Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), responsável pela administração do parque, que também precisa apresentar um plano de reformas do espaço nos próximos 15 dias. Além do Ibama, o promotor ouviu a veterinária que cuida dos animais e membros da Emlurb, da Secretaria municipal de Meio Ambiente e da sociedade civil para avaliar novamente o tema. A discussão sobre a manutenção do minizoo veio à tona em fevereiro, com a criação de uma petição online que pedia a desativação do espaço. A iniciativa foi tomada pelo dramaturgo e cinegrafista, Felipe Peres Calheiros, que é contra o confinamento de animais. Outros ativistas lembraram que em 2012 foi criado uma lei estadual que proíbe a permanência de bichos silvestres em parques e praças públicas. O assunto ganhou repercussão e foi tema de audiência pública em abril. Na ocasião, o próprio promotor Ricardo Coelho pediu a retirada dos animais dentro de seis meses, alegando que o parque não tinha licença para manter o minizoo.  Saiba a opinião dos frequentadores do parque na reportagem de Clarissa Siqueira: [uolmais_audio 15168974]

TAGS

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

CONTINUE LENDO