Rodoviários do Grande Recife vão decidir rumos da paralisação durante assembleia

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 23/08/2014 às 17:28
Leitura:
Da Redação  f4b5c471a2b4d21b051bc697b847c28b

Uma assembleia será realizada neste domingo (24) para decidir os rumos do movimento dos rodoviários da região metropolitana. O sindicato que a princípio defendia a continuidade das atividades resolveu apoiar o protesto. A assessoria jurídica da instituição vai recorrer da liminar do presidente do TST sobre o dissídio da categoria.

Os trabalhadores negam a autoria dos atos de vandalismo registrados nesta sexta-feira (23) no Grande Recife. Os motoristas, cobradores e fiscais não descartam a possibilidade de realizar novas paralisações nos próximos dias.

As empresas de ônibus prometem contratar prestadores de serviço no lugar dos rodoviários faltosos. O advogado trabalhista Marcos Alencar diz que dentro da justiça o patronato pode questionar o dissídio:

As empresas de ônibus asseguram que não tem condições financeiras de bancar o percentual concedido pelo TRT.

Entre os argumentos estão a queda no número de       passageiros, o aumento dos custos e a defasagem do valor da tarifa. O julgamento do dissídio dos rodoviários de Pernambuco deve ser colocado na pauta do TST, em Brasília, no prazo de oito dias.

O presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª região o desembargador Ivanildo Andrade esclarece:

O porta voz da direção eleita, mas não empossada, dos rodoviários diz que a orientação é para retornar ao trabalho neste sábado (23) e no domingo (24). O sindicalista admite que grupos ligados a gestão derrotada nas eleições podem deflagrar manifestações isoladas.

Ele esclarece aos colegas de trabalho que o percentual a ser pago nos salários é de 6%, inclusive no valor do tíquete refeição.

Genildo Pereira afirma que o grande culpado é o presidente da Urbana PE, sindicato dos donos de empresas de ônibus:

Mais Lidas