Rodoviários do Grande Recife fazem nova paralisação após ter reajuste cancelado


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 25/08/2014 às 7:42
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizada às 9h22 Foto: Elvis de Lima/NE10 Foto: Elvis de Lima/NE10 Esta segunda-feira (25) começou com sofrimento dos usuários do transporte público, que saíram de casa para pegar um ônibus e não encontraram os veículos. O Sindicato dos Rodoviários do Grande Recife resolveu fazer uma nova paralisação após terem seu aumento suspenso pelo Tribunal Superior do Trabalho. Das 4h às 8h, os ônibus não saíram das garagens de nenhuma empresa, causando transtornos em toda a Região Metropolitana. Por volta das 8h15, os veículos começaram a ser liberados das garagens das empresas Caxangá, Cidade Alta, Pedrosa e Itamaracá. Às 16h, eles devem se reunir na Praça Oswaldo Cruz e vão sair em passeata pelas ruas do Centro do Recife. Após a passeata, uma nova assembleia vai decidir os rumos da mobilização nos próximos dias. Foto enviada pelo internauta @JohnnysSalgado/Twitter Foto enviada pelo internauta @JohnnysSalgado/Twitter Por volta das 8h, usuários do Terminal de Xambá realizaram um protesto na Avenida Presidente Kennedy, no bairro de Peixinhos (Olinda), em frente ao terminal. Eles queimaram pneus e fecharam a via. Por conta da paralisação dos rodoviários, o metrô vai operar nesta segunda-feira com esquema especial. O horário de pico será estendido em uma hora tanto pela manhã quanto a noite na volta para casa. Na linha centro, serão 14 trens com intervalos de cinco minutos entre um e outro. Na linha sul, oito trens com intervalos de oito minutos. REAJUSTE O reajuste salarial de 10% concedido a motoristas, cobradores e fiscais de ônibus da Região Metropolitana do Recife pelo Pleno do Tribunal Regional da 6ª Região (TRT-PE) em 30 de julho foi suspenso, provisoriamente na noite da quinta-feira (21). O ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Barros Levenhagen, acatou o pedido liminar do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado de Pernambuco (Urbana-PE) por entender que o reajuste concedido ficou fora dos limites do poder normativo da Justiça do Trabalho. O TST ainda arbitrou aumento de 6%, abaixo dos índices inflacionários, que foram de 6,06%, de acordo com o INPC/IBGE. Esse reajuste valeria tanto para o salário quanto para o tíquete-alimentação, cujo reajuste anterior seria reajustado de 75,4%. Com a decisão, o salário de motorista passa a ser de R$ 1.700,30; o de cobrador, R$ 782,59; e o de fiscal ficará em R$ 1.100,17. O mesmo índice também foi aplicado às diárias para motoristas em viagens especiais, ao auxílio funeral e à indenização por morte ou invalidez.

Mais Lidas