Com queda de 10% nas vendas, comércio do Recife enfrenta o pior ano em uma década

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/08/2014 às 14:13
Leitura:
comercio informal Foto: JC Imagem

Os empresários do comércio do Recife sofrem com o que classificam de pior ano em uma década. A mistura de greves, Copa do Mundo, eleições, endividamento e inflação alta derrubou as vendas do setor em mais de 10%.

O presidente da Câmara de Dirigentes Logistas do Recife (CDL), Eduardo Catão, apontou que de junho para o mês atual a queda nas vendas se acentuou bastante e que não se contratou o que deveria se contratar para o mês de junho, em função dos festejos juninos e do dia dos namorados. "Isso preocupa muito porque, inclusive, não estamos empregando, pelo contrário, acho que está havendo uma redução do quadro de funcionários", destacou Catão.

Sobre a expectativa para uma melhora nas vendas neste final do ano, o presidente da CDL explicou que a expectativa é sempre positiva. "Nós estamos sempre acreditando. Já vamos fazer agora, no início de setembro, o Liquida Grande Recife justamente com esse objetivo", disse Eduardo.

O economista José Fernandes de Menezes lembrou que mesmo com o cenário negativo, o mercado de trabalho ainda continua um cenário estável.  "Nós estamos vivendo um momento de desaceleração da economia e o único fator positivo continua sendo ainda o mercado de trabalho", explicou o economista. No entanto, o cenário já começa a mudar. "Os últimos dados do Ministério do Trabalho sobre a geração de emprego mostram uma desaceleração ao longo do tempo", analisou José Fernandes.

Confira as entrevistas com Eduardo Catão e com o economista José Fernando de Menezes ao âncora Wagner Gomes:

Mais Lidas