Túnel da Abolição será entregue em 60 dias e corredor Leste-Oeste até o fim do ano, afirma João Lyra

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 01/09/2014 às 11:30
Leitura:
CX_Bob Engarrafamento é teste de paciência para quem trafega na Caxangá Foto: Bobby Fabisack / JC Imagem

Antes da Copa do Mundo, as obras de mobilidade no Grande Recife receberam um "gás" para que os turistas pudessem ser bem atendidos durante o campeonato mundial. Passado o evento, obras ainda seguem inacabadas. Além da frustração da população, muitos projetos acabam causando mais transtornos, do que se, se quer eles tivessem saído do papel. Um desses exemplos, é o corredor Leste-Oeste.

A Avenida Caxangá é dor de cabeça diária para as milhares de pessoas que precisam transitar por ela desde Camaragibe para chegar ao Centro do Recife. A faixa exclusiva de ônibus deu lugar ao corredor do BRT, que ainda tem grandes intervalos de viagens e beneficia poucos passageiros. Nas duas outras faixas, carros, ônibus, motos e bicicletas disputam espaço e os coletivos ainda precisam parar próximo às calçadas para que os passageiros embarquem e desembarquem.

Como se não bastasse, as obras atrasadas do Túnel da Abolição, no fim da Caxangá, dificultam o tráfego causando engarrafamentos tanto para quem vai para o Centro, como para quem vai para o subúrbio. Auxiliares de trânsito foram colocados no local, mas, nem assim, é fácil passar por lá sem se stressar. Em entrevista à JC News com Wagner Gomes, o governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), afirma que essa área, de grande circulação de pessoas, impede que o trecho seja interditado para que o serviço seja feito com a rapidez necessária. Por causa disso, o corredor Leste-Oeste só deve ser entregue até o final do ano. Já o Túnel da Abolição, em, no máximo, 60 dias. [Ouça entrevista na íntegra que também fala da expectativa para as eleições]

Mais Lidas