Estudo aponta que Brasil ainda tem média ruim de fatalidades em colisões de trânsito

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 03/09/2014 às 16:02
Leitura:
Foto: Reprodução/ Não Foi Acidente Foto: Reprodução/ Não Foi Acidente

Um estudo divulgado neste mês pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, com base em dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostra que o Brasil ainda tem uma média ruim de fatalidades em colisões de trânsito. Apesar de não estar entre os 25 piores, o país ficou em 42º lugar, com 22 mortes para cada 100 mil pessoas. O primeiro país do ranking, que traz o maior número de mortes, é a Namíbia, com 45 óbitos para cada 100 mil pessoas.

Sobre o assunto, Everson Teixeira conversou com Israel Moura, professor de legislação e direito de trânsito, tenente coronel da Polícia Militar. O professor explicou que o próprio termo "acidente" é um erro, já que acidente é algo que acontece de forma inesperada. "Na União Europeia eles utilizam o termo 'crash'", comparou o tenente. Ele dá um exemplo para justificar a forma incorreta da utilização do termo "acidente": "Vamos imaginar que um cidadão passa a noite numa boate, bebendo, sai com seu carro e atropela e mata alguém. Chega diante de um magistrado e vai dizer que foi um acidente.".

Ele ainda fez um comparativo em relação às vítimas de outros vírus, como o ebola.  Confira a entrevista completa:

Mais Lidas