Em Caruaru, candidatos ao governo de Pernambuco não interiorizam discussão


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 04/09/2014 às 12:58
Leitura:

debate twitter jc Paulo Câmara (PSB), Zé Gomes (PSOL) e Armando Monteiro Neto (PTB) participaram do debate Foto: Reprodução / Twitter JC Em debate na Rádio Jornal Caruaru, no Agreste de Pernambuco, nesta quinta-feira (4), os três candidatos ao governo de Pernambuco com representatividade no Congresso Nacional, Paulo Câmara (PSB), Armando Monteiro Neto (PTB) e Zé Gomes (PSOL), pouco interiorizaram a discussão, deixando de falar de assuntos importantes como a BR-232 e a Feira da Sulanca. Em programa de uma hora apresentado pelo comunicador Geraldo Freire, foram abordadas questões gerais como a saúde e a educação. Empatados nas pesquisas, de acordo com a última pesquisa do Datafolha, Armando e Paulo agiram com cautela, se enfrentando pouco. O candidato do PSB questionou a experiência do petebista na gestão pública, no que ele respondeu acusando Paulo Câmara de não ter experiência nas urnas. No fim da sabatina, Zé Gomes alfinetou os dois: "(Eles) não debatem entre um e outro porque as propostas são iguais."

Ainda sobre a trajetória de Paulo Câmara, Armando usou a candidata à presidência pelo PSB para criticá-lo: "Marina (Silva) diz que desconfia de candidatos com perfil de gerência (...) é preciso cuidar de liderança, não só de gerência". Paulo se defendeu falando em planejamento, execução e em "ouvir as pessoas" e, como vem sendo feito pelos dois candidatos desde a morte de Eduardo Campos, falou do mentor: "Ajudei Eduardo a governar Pernambuco". Se Campos e Marina foram pauta no debate, a presidente Dilma Rousseff também não ficou de fora. O candidato do PSB atacou a candidata do PT defendendo a candidatura de Marina Silva, que teria sido pensada em aliança entre ela e Eduardo Campos. Em pergunta a Zé Gomes, Câmara disse que "Dilma parou o Brasil" e "está entregando o País pior que recebeu" e emendou: "Você acha que o Brasil merece mais quatro anos de Dilma?" Gomes, no entanto, defendeu a candidata do PSOL à presidência, Luciana Genro, e, nas considerações finais, criticou o PSB e Marina Silva dizendo que "nova política" não está no campo do partido. militância armando militância paulo câmara Militância de Armando e Paulo ficaram na frente da Rádio Jornal em Caruaru
Foto: Fabiano Lopes / Rádio Jornal Questionado por Zé Gomes como, em Pernambuco, o quarto estado onde mais se mata negros, será enfrentada a guerra aos pobres, o candidato do PT falou em "repactuar o pacto", em referência ao Pacto Pela Vida, focando em crimes contra o patrimônio e a mulher, por exemplo. Além disso, o candidato disse defender um projeto para agravar a pena para jovens que cometem crimes hediondos. De acordo com ele, não se trata de reduzir a maioridade penal, mas de colocar os jovens em unidades especiais, com programas de assistência e de qualificação. De maneira geral, os candidatos fugiram das perguntas, com acusações mútuas de não estarem respondendo diretamente aos questionamentos. Paulo reclamou de Armando quando ele não respondeu que experiência tinha no setor público, Armando não falou sobre os negros abordados por Zé Gomes em relação à violência, assim como Paulo Câmara não respondeu à pergunta, feita pelo candidato do PSOL, de quantos alunos fazem parte, atualmente, da rede das escolas de referência. [Você confere o debate na íntegra nos players de áudio da matéria] LEIA MAIS Rádio Jornal realiza debate entre candidatos a governador de Pernambuco em Caruaru

Mais Lidas