Tribunal Superior do Trabalho julga reajuste salarial dos rodoviários nesta segunda

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 08/09/2014 às 9:01
Leitura:
b5d4fb2f2705cd36e416666fceabe5f1 Foto: acervo JC Imagem Nesta segunda-feira (8), a partir das 13h30, o Tribunal Superior do Trabalho reúne os nove ministros para julgar o mérito do dissídio coletivo que reajusta salário e benefícios dos motoristas de ônibus, cobradores e fiscais de Pernambuco. No encontro, deve ser decidido se o reajuste permanece em 10%, como aprovado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 6ª região (TRT-PE), que responde por Pernambuco. Novas paralisações estão suspensas até a divulgação do resultado. A advogada da categoria dos rodoviários, Maria Rita Albuquerque, afirma que vai acompanhar o julgamento em Brasília e se mostra otimista. A grande polêmica gira em torno do reajuste salarial de 10% concedido a motoristas, cobradores e fiscais de ônibus da Região Metropolitana do Recife pelo TRT-PE em 30 de julho e suspenso provisoriamente no dia 21 de agosto após o ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Barros Levenhagen, acatar o pedido liminar do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado de Pernambuco (Urbana-PE). De acordo com os empresários, o reajuste concedido ficou fora dos limites do poder normativo da Justiça do Trabalho. Na época, o TST arbitrou aumento de 6%, sobre o salário e sobre os benefícios. O mesmo índice também foi aplicado às diárias para motoristas em viagens especiais, ao auxílio funeral e à indenização por morte ou invalidez. Dias depois, o TST reconsiderou a determinação e manteve o reajuste de 10% no salário e 6% no tíquete alimentação até o julgamento do pleito. Neste período, a categoria realizou paralisações em dias alternados para pressionar o TST a julgar o mérito em benefício dos rodoviários. A legalidade das greves são o objeto da ação que será julgada nesta terça-feira (9), no Tribunal Regional do Trabalho. Genildo Pereira, integrante da diretoria eleita, mas não empossada, do Sindicato dos Rodoviários, tranquiliza os usuários do transporte coletivo:

Mais Lidas