Pacientes denunciam falta de medicamento no Hemope para tratamento de leucemia


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 11/09/2014 às 12:41
Leitura:
Da Rádio Jornal Imagem ilustrativa. Foto: reprodução/internet Imagem ilustrativa. Foto: reprodução/internet Segundo o paciente Ramos Oliveira, o medicamento dasatinibe está em falta há mais de um mês no Hemope, nas Graças, o que prejudica o sucesso do tratamento. O remédio  é indicado para adultos com leucemia mieloide crônica e para leucemia linfoblástica aguda. As células da leucemia mieloide crônica contêm um gene cancerígena (BCR-ABL) que não é encontrado em células normais. Este gene produz uma proteína BCR-ABL, que faz com que as células da leucemia mieloide crônica cresçam e se reproduzam fora de controle. O dasatinibe é uma droga que atua no controle dessa proteína. Como ele é um medicamento moderno, é chamado de segunda geração, e é administrado por via oral, como comprimido. A hematologista e responsável pelos pacientes com leucemia mieloide crônica, Alita Azevedo, explica a importância do remédio para o tratamento da doença: Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que a Farmácia de Pernambuco está finalizando o processo de licitação do medicamento dasatinibe, de 20 e 50 miligramas. Comunicou ainda que a chegada de cerca de quatorze mil comprimidos deverá ocorrer em outubro.

Mais Lidas