Polícia Civil e Fisco procuram envolvidos em contrabando de cigarros vindos do Paraguai


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 16/09/2014 às 10:41
Leitura:
Da Rádio Jornal Foto: Divulgação/Polícia Federal Foto: Divulgação/Polícia Federal A operação Alcatrão II, parceria entre a Secretaria da Fazenda (Sefaz) e a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS) apreendeu 14 milhões de cigarros paraguaios, o equivalente a 1400 caixas do produto, em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. No mês passado, três milhões de unidades de cigarro foram apreendidas na zona rural de Limoeiro, no Agreste pernambucano. A ação é uma continuidade da operação Alcatrão I, realizada em 2012, que culminou na prisão de oito pessoas, no ano seguinte. O diretor de Operações Estratégicas da Sefaz, Anderson Alencar, detalha os resultados obtidos para a reportagem de Ísis Lima: Só nesta carga contrabandeada, o patrimônio deixou de recolher cerca de R$ 800 mil. O cigarro produzido no Paraguai pode ser comercializado em outros países, mas no Brasil a venda é proibida. O dono do galpão, que não teve a identidade revelada, vai ser ouvido pela polícia. A operação Alcatrão II ainda não prendeu ninguém e as investigações continuam. A pena para quem compra, vende, guarda ou transporta esse tipo de mercadoria pode chegar a cinco anos de reclusão e o detido não tem direito à fiança no momento da prisão.

Mais Lidas