Coligação de Armando denuncia onda de violência e pede tropas federais no dia da eleição


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/09/2014 às 10:33
Leitura:
Da Rádio Jornal Comitê em Surubim foi invadido e destruído. Foto: divulgação/assessoria. Comitê em Surubim foi invadido e destruído. Foto: divulgação/assessoria. Integrantes da coligação Pernambuco Vai Mais Longe entraram com uma representação judicial, na tarde dessa quarta-feira (17), no Tribunal Regional Eleitoral, no bairro do Derby, na área central do Recife. A medida tem como objetivo alertar o tribunal sobre as depredações que ocorreram nos últimos 20 dias em quatro comitês da coligação localizados em Recife, Olinda, Abreu e Lima e Surubim, e pedir reforço na segurança em todo o estado. O documento foi entregue à sessão de protocolo pelo candidato a vice-governador, Paulo Rubem Santiago, do PDT. Ele afirma nunca ter visto ações violentas como essas em toda a sua carreira política e diz que esse movimento parece ser orquestrado. Em Abreu e Lima, local foi incendiado. Foto: divulgação/assessoria. Em Abreu e Lima, local foi incendiado. Foto: divulgação/assessoria. A representação vai ser encaminhada ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Fausto Campos. Um ofício também foi endereçado ao governador de Pernambuco, João Lyra Neto. O candidato a vice-governador na chapa de Armando Monteiro Neto explica que a iniciativa vai permitir ao TRE se antecipar quanto às ações para garantir eleições tranquilas, evitando a instauração de um clima de terror a menos de 20 dias para o pleito. Saiba mais na reportagem de Lélia Perlim: O advogado da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, Walber Agra, sugere o aumento do policiamento, com ação inclusive de tropas federais, para que os atos deviolência sejam reprimidos no estado.

Mais Lidas