Campanha de consientização sobre sífilis congênita alerta para prevenção na gravidez

Da Rádio Jornal

Da Rádio Jornal, com informações de assessoria grávida Com o aumento dos casos de sífilis congênita, aquela que é passada da mãe para o bebê durante a gravidez ou o parto, a Prefeitura do Jaboatão criou uma campanha de informação e prevenção na chamada a Semana de Combate à Sífilis. A iniciativa segue até a próxima sexta-feira (24) com palestras educativas e teste rápido para diagnóstico da sífilis e HIV, no Centro de Referência da Mulher, em Piedade. Os exames serão voltados para as gestantes e os companheiros que forem realizar atendimento na unidade. Todas as pessoas sexualmente ativas devem realizar o teste para diagnosticar a sífilis, principalmente as gestantes, pois a sífilis congênita pode causar aborto, má formação do feto e/ou morte ao nascer. O teste deve ser feito na primeira consulta do pré-natal, no 3º trimestre da gestação e no momento do parto (independentemente de exames anteriores). O cuidado também deve ser especial durante o parto para evitar sequelas no bebê, como cegueira, surdez e deficiência mental. A doença pode ser curada em qualquer estágio, com um tratamento simples e eficaz, disponível em Jaboatão dos Guararapes no Centro de Referência da Mulher, Hospital e Policlínica Jaboatão Prazeres e no Centro de Testagem e Aconselhamento em DST/AIDS. Até o final do ano, todas as unidades de saúde realizarão o teste rápido e o tratamento da sífilis. Para prevenir a doença, é bem simples: fazer uso da camisinha em todas as relações sexuais e o pré-natal correto durante o período de gestação. São métodos eficazes e baratos para prevenir-se contra a sífilis congênita. Saiba mais na reportagem de Clarissa Siqueira: [uolmais_audio 15243591] TRANSMISSÃO A sífilis é uma doença infectocontagiosa, causada pela bactériaTreponema pallidum, que pode ser transmitida de uma pessoa para outra durante o sexo sem camisinha com alguém infectado, por transfusão de sangue contaminado ou da mãe infectada para o bebê, durante a gestação ou o parto. Os primeiros sintomas são pequenas feridas nos órgãos sexuais e caroços nas virilhas (ínguas), que surgem entre 7 a 20 dias após o sexo desprotegido com alguém infectado. A ferida e as ínguas não doem, não coçam, não ardem e não apresentam pus. Mesmo sem tratamento, essas feridas podem desaparecer sem deixar cicatriz, mas a pessoa continua doente e a doença se desenvolve. Num certo estágio, podem surgir manchas em várias partes do corpo e queda dos cabelos, que também podem desaparecer. A sífilis pode ficar sem apresentar sintomas por meses ou anos, até o momento em que surgem complicações graves como cegueira, paralisia, doença cerebral e problemas cardíacos, podendo, inclusive, levar à morte.

TAGS

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

CONTINUE LENDO