Prefeitura do Recife intensifica fiscalização para coibir depredação ao patrimônio público

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/10/2014 às 15:26
Leitura:
Monumento de Ascenso Ferreira, localizado no Cais da Alfândega, foi depredado em abril e ficou sem o rosto, parte do chapéu e dos dedos Foto: Diego Nigro/ JC Imagem Monumento de Ascenso Ferreira, localizado no Cais da Alfândega, foi depredado em abril e ficou sem o rosto, parte do chapéu e dos dedos
Foto: Diego Nigro/ JC Imagem

A depredação do patrimônio público da cidade do Recife já gerou R$ 2 milhões de prejuízos em 2013. Este ano, a conta já chegou a R$ 700 mil somente com furtos no sistema de iluminação pública. Por isso, a prefeitura partiu para uma ofensiva e está ampliando o número de câmeras de monitoramento para inibir os atos de vandalismo, roubos e furtos do que é público.

Um ano atrás eram 40 unidades, no último mês de setembro passaram para 100 equipamentos e até o fim do ano mais 40 câmeras funcionarão como os olhos do município.

O presidente da Emlurb, Antonio Barbosa, conversou com o âncora Wagner Gomes. "A gente enfrenta anualmente uma dificuldade muito grande quando a gente se depara com a pichação de monumentos. Aquele circuito da poesia, são 12 estátuas que são depredadas. A gente tá fazendo agora a recuperação de todos esses monumentos e já vai importar em R$ 115 mil para recuperar essas imagens", destacou o presidente.

Sobre os furtos no sistema de iluminação pública, o presidente da Emlurb lembrou que este problema impacta diretamente na segurança da cidade.

Confira a entrevista completa:

Mais Lidas