Teresa Leitão reforça que Pernambuco não vai enfrentar dificuldades no repasse de verbas do governo federal

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/10/2014 às 15:04
Leitura:
 Foto: JC Imagem
Foto: JC Imagem

Após a vitória da petista Dilma Rousseff com 51%64 dos votos válidos, e com a votação expressiva que a candidata do PT teve em Pernambuco (70,20% dos pernambucanos a elegeram), os resultados foram repercutidos durante toda a programação da Rádio JC News, nesta segunda-feira (27).

Em entrevista ao âncora Wagner Gomes, a deputada Teresa Leitão, presidente estadual do PT, falou sobre o clima com o PSB de Pernambuco, que decidiu apoiar o candidato do PSDB, Aécio Neves, no segundo turno. A deputada acredita que é muito antecipado fazer uma análise sobre um possível palanque das eleições de 2016. "Acho que a gente ainda vai passar um período de depuração dessas eleições. [As eleições] Foram muito acirradas, notadamente aqui em Pernambuco, posições muito exageradas, posições externadas de maneira imprópria, mas a vida continua", avaliou a deputada.

Na Assembleia Legislativa de Pernambuco, o PT se coloca na oposição a partir de 2015, quando se inicia o governo do socialista Paulo Câmara. "É exercer plenamente o papel que lhe foi dado nas urnas; fiscalizar o governo, não apenas institucionalmente, mas também com uma visão crítica e política; apoiar aquilo que for necessário fazer para o bem do povo de Pernambuco; ter uma oposição independente em relação aos ditames do palácio; e de uma forma internamente à casa ter condições de articular essa bancada, que se dizia que seria de nove mas que já alcançou 14, mas quem sabe pode até crescer", elencou a deputada.

Sobre a relação entre os governos estadual e federal que agora estão em lados opostos, já que o governador eleito, Paulo Câmara, assim com o PSB não apoiaram a candidata Dilma Rousseff, Teresa defende que Pernambuco não vai enfrentar dificuldades, no que diz respeito ao repasse de verbas. "Nenhuma dificuldade, a não ser aquelas da burocracia e de qualquer problema com os projetos, que é o que aconteceu com o Arco Metropolitano", afirmou. "A CPRH, que é um órgão do governo estadual, ainda não entregou a autorização de licenciamento solicitada por lei para liberação do espaço destinado ao Arco Metropolitano", explicou a deputada.

A deputada ainda aproveitou a oportunidade para criticar a postura do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB). "O prefeito Geraldo Julio, até ontem, dizia que não via nenhum projeto do governo federal aqui no nosso Estado e hoje, em nota oficial, ele disse que espera que as parcerias sejam mantidas. Então, se as parcerias serão mantidas é por que de fato elas já existem", disparou Teresa Leitão.

Confira a entrevista completa:

Mais Lidas