Vitória de Dilma Rousseff em Pernambuco impõe derrota política ao PSB


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/10/2014 às 11:45
Leitura:
Da Rádio Jornal Foto: Reprodução/Internet Foto: Reprodução/Internet Os socialistas investiram alto na candidatura do ex-governador Eduardo Campos, após 7 anos de gestão no Palácio do Campo das Princesas. A tragédia em 13 de agosto, em Santos, interrompeu o sonho, mas não o projeto de chegar ao poder em Brasília. Marina Silva, substituta de Campos, obteve o apoio maciço do partido em Pernambuco, tanto é que desbancou Dilma Rousseff, no 1º turno no estado, onde Aécio Neves teve votação insignificante. Com a derrota de Marina, o tucano recebeu a adesão, inclusive, da família do ex-governador, com depoimentos e presenças em atividades de campanha. Mas, ainda assim, Dilma recebeu 70,20% dos votos, enquanto Aécio ficou com 29,80%. Para os analistas políticos, a Frente Popular de Pernambuco cumpriu sua parte em divulgar o nome do tucano, mas o resultado revela o caráter independente do eleitorado. O vice-governador eleito, Raul Henry do PMDB, afirma que o resultado apertado traz um ensinamento à Dilma. A reeleição da presidente Dilma Rousseff deu uma sobrevida ao Partido dos Trabalhadores em Pernambuco. Uma das lideranças no estado, o deputado federal e candidato derrotado ao senado, João Paulo, analisa: Mas, apesar desta derrota expressiva do governo estadual, pela vitória da atual presidente, os petistas negam a retaliação na gestão dos socialistas em Pernambuco.

Mais Lidas