Fábrica da Fiat vai injetar mais de R$ 2 bilhões por ano na economia de Pernambuco


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/10/2014 às 15:08
Leitura:
Foto: Marcela Balbino/ BlogImagem Foto: Marcela Balbino/ BlogImagem

O governo de Pernambuco divulgou nesta terça-feira (28), o resultado de um estudo encomendado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDEC) com o diagnóstico socioeconômico e territorial no em Goiana e mais nove cidades beneficiadas com a instalação do polo automotivo da Fiat, na Zona da Mata Norte.

De acordo com o estudo desenvolvido pelo Consórcio Diagonal/Ceplan, a implantação da fábrica da Jeep em Goiana, vai provocar uma revolução econômica e demográfica. Na estimativa, mais de 47 mil empregos serão gerados de forma direta e indireta, gerando um aumento na massa salarial nos municípios de Goiana, Igarassu e Itapissuma no entorno do empreendimento. Com isso, o Estado vai ter por ano a injeção de R$ 2,1 bilhões e o PIB terá um incremento de 6,5 pontos percentuais em 2020.

No ensaio projetado pelo Consórcio Diogonal/Ceplan, a implantação da fábrica e todas as empresas que vão alimentar o sistema provocará uma revolução e com ela, uma nova demografia. Cerca de 100 mil pessoas devem se instalar na região.

O Secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Márcio Stefhanni, explica a necessidade do estudo. "Diante desse grande investimento que fizemos nós tivemos que nos planejar para o futuro", disse.

Uma nova fase está sendo instalada. Com o fim do estudo, o governo agora trabalha na criação de um plano de gestão integrada entre o governo, municípios, e empresas privadas. Diversas secretarias estaduais e municipais estão atentas às novas demandas que vão surgir.

Com o investimento de R$ 9,6 bilhões da Fiat e das empresas sistêmicas, na edificação, obras, maquinário e equipamentos, Pernambuco passar a figurar entre os grandes Estados com indústria de transformação.

Confira outros detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

Mais Lidas