Para juiz do movimento de combate à corrupção, referendo não é boa opção para reforma política

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/10/2014 às 15:20
Leitura:

Já no discurso assim que soube da reeleição, nesse domingo (26), a presidenta Dilma Rousseff apontou a necessidade de se fazer a reforma política no Brasil. Em entrevista, a presidenta defendeu um plebiscito, o que já gerou conflito, principalmente no Congresso Nacional, encabeçado pelo PMDB.

A reforma pode ser feita através de referendo, plebiscito ou iniciativa popular. Em entrevista à JC News com Everson Teixeira, o juiz eleitoral do Maranhão, Márlon Reis, um dos fundadores do Movimento de Combate à Corrupção, explica que, na visão dele, o referendo é a pior das alternativas, já que o Congresso escolheria de que forma seria a reforma, cabendo à sociedade apenas dizer se concorda ou não com as decisões. O magistrado também acredita que precisam existir regras claras que assegurem a transparência do financiamento de campanha:

Mais Lidas