Suspeito de mandar matar promotor de Itaíba, vai se apresentar à Policia Federal


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/10/2014 às 9:06
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizada às 17h40 Foto: reprodução/arquivo pessoal Morte de Thiago Farias completou um ano em 14 de outubro. Foto: reprodução/arquivo pessoal

José Maria Pedro Rosendo Barbosa, o principal suspeito de ser o mandante do assassinato do promotor de Itaíba, Thiago Farias, deve se apresentar hoje à Polícia Federal. O advogado do suspeito, Anderson Flexa, conversou com Geraldo Freire para explicar como será o processo. "Zé Maria" está num esconderijo não revelado e, de acordo com a assessora de imprensa da família do suspeito, ele decidiu se entregar porque estava vivendo em condições sub-humanas, por causa da fuga, inclusive passando noites em cemitérios.

O promotor Thiago Faria Soares, que tinha 36 anos na época, foi vítima de uma emboscada na PE-300, entre as cidades de Itaíba e Águas Belas, no Agreste, em 14 de outubro de 2013. No carro com ele estavam a noiva dele, a advogada Mysheva Martins, e um tio da mulher. Os dois conseguiram escapar ilesos do atentado. O promotor foi assassinado com tiros de espingarda doze no rosto e no pescoço, o que, segundo a polícia, configura uma execução.

De acordo com o advogado de Zé Maria, ele não se apresentou antes porque a Polícia Civil não apresentava condições de segurança para a negociação. "A Polícia Civil adotou uma tese e ignorou as outras. Isso cirou uma insegurança para ele se apresentar porque todos os esclarecimentos que prestasse seriam usados contra ele", diz Anderson Flexa.

A novidade, segundo o advogado, é que a Polícia Federal, que assumiu as investigações, não está descartando outras linhas de investigação. "Ele não está se escondendo, ele tentou se apresentar, mas não sentiu segurança", completou o advogado. Ouça a entrevista completa abaixo:

Leia também: Um ano depois, assassinato do promotor de Itaíba, Thiago Faria Soares, continua um mistério

Mais Lidas