Dilma e Aécio estavam cientes do problema econômico que iriam enfrentar, diz especialista

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 29/10/2014 às 13:59
Leitura:

O ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, classificou como anacrônica a derrubada do decreto presidencial que regulamenta o funcionamento dos Conselhos Populares e vincula essas deliberações à decisões governamentais de interesse social. O ministro classificou o fato como uma vitória da vontade conservadora de impor uma derrota política à presidente Dilma.

Após a reeleição, a petista já enfrenta dificuldades com o Congresso Nacional e tem ainda que lidar com às denúncias de corrupção. O cientista político, Adriano Oliveira, repercutiu os temas na coluna Pesquisa e Opinião desta quarta-feira (29). "Em relação ao escândalo da Petrobrás, eu tenho a hipótese será semelhante à CPI do Cachoeira, ou seja, poderá dar em tudo ou em nada", analisou. "Diante do volume de notícias que vieram à tona durante a campanha eleitoral mostrando o envolvimento de diversos atores, independente do partido político, isso poderá permitir um grande acordão", justificou Adriano. "Então não parta do princípio de que essas denúncias atingem apenas o PT. Elas atingem o Congresso Nacional como um todo e outras pessoas que não são parlamentares", finalizou o cientista político.

Com relação à economia fragilizada, Adriano lembrou que tanto Aécio Neves, candidato tucano, quanto a presidente reeleita, Dilma Rousseff, estavam cientes de que iriam enfrentar um problema econômico em 2015, caso fossem eleitos. "A presidente Dilma precisa, necessariamente, agir para retomada do crescimento econômico", alertou o especialista. Segundo Adriano, a petista precisa nomear um ministro da Fazenda que seja respeitado pelo mercado, além de uma política fiscal transparente, e ainda a busca para o aumento do investimento público em infraestrutura. Para finalizar, ele aconselha que o governo federal faça a manutenção do que já está como, por exemplo, a taxa pequena de desemprego.

Confira outros detalhes na coluna desta quarta-feira (29):

Mais Lidas