Líder da quadrilha que desviou R$ 12 milhões pode ser empresário de Caruaru


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 31/10/2014 às 7:42
Leitura:
Da Rádio Jornal Segundo investigações da Polícia Federal, o empresário Abdias Marcelinho dos Santos Júnior contava com o apoio de servidores da Prefeitura de Canhotinho que atuavam no INSS. A organização criminosa tinha ainda o reforço de um advogado e duas contadoras, que não tiveram os nomes revelados. O grupo conseguia introduzir dados falsos no sistema e assim obtinha aposentadoria por morte ou por esquizofrenia. Por mês, o golpe rendia cerca de R$ 200 mil, que eram sacados nos caixas eletrônicos das agências bancárias do Agreste. A Polícia Federal cumpriu 51 mandados judiciais, sendo 38 de busca e apreensão. Ao todo, 12 pessoas foram presas nesta quinta-feira (30), na operação intitulada Omni, que no latim significa onipresente. A PF descobriu ainda um esquema de lavagem de dinheiro com a compra de imóveis e veículos, alguns importados de alto valor. O chefe de Comunicação Social da Polícia Federal em Pernambuco, Giovani Santoro, afirma que o grupo atuava com descrição: Os três postos de combustíveis de Caruaru foram interditados para que o dinheiro desviado seja devolvido ao erário público. Os 61 benefícios da Previdência Social foram suspensos por conta das irregularidades no cadastro. A delegada da Polícia Federal em Caruaru, Mariana Melli, detalhou ontem as investigações iniciadas há quatro anos:

Mais Lidas