Ação civil pública pretende proteger 415 imóveis históricos do Recife


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 06/11/2014 às 15:23
Leitura:

Da Rádio Jornal

Promotor Ricardo Coelho Foto: Acervo JC Imagem Promotor Ricardo Coelho
Foto: Acervo JC Imagem

A Prefeitura do Recife ainda não definiu um prazo para divulgar a resposta sobre a ação do Ministério Público para o tombamento de imóveis históricos na cidade. De acordo com assessoria de comunicação da Secretaria de Cultura, o processo não é simples e a definição deve ser divulgada em até três dias após uma reunião entre os responsáveis.

O Ministério Público de Pernambuco entrou com uma ação civil pública na Justiça Federal estadual com o objetivo de obrigar a PCR a proteger 415 imóveis históricos da cidade que estão abandonados.

Nessa quarta-feira (5), o juiz Mozart Valadares Pires intimou a gestão municipal a se manifestar sobre o assunto em um prazo de 72 horas.

Um levantamento dos imóveis carregados de valor histórico e cultural foi realizado por órgãos técnicos da gestão municipal neste ano. Porém, de acordo com o promotor Ricardo Coelho, autor da ação enviada à justiça, o prefeito Geraldo Júlio não expediu ato administrativo para elevá-los à categoria de imóveis especiais de preservação.

O promotor Ricardo Coelho comentou que a busca pelo tombamento dos imóveis também é uma preocupação devido à especulação imobiliária.

A lista dos imóveis já foi finalizada pela prefeitura da cidade e enviada pela Secretária de Cultura ao prefeito do Recife, mas ela ainda não foi divulgada.

Outros detalhes na reportagem de Cibelly Melo:

Mais Lidas