Consórcio apresenta redesenho do Novo Recife. Movimento Ocupe Estelita critica mudança


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 06/11/2014 às 14:57
Leitura:
Da Rádio Jornal Atualizada em 07.11.2014 às 9h25 Redesenho do Projeto Novo Recife  Foto: Divulgação Redesenho do Projeto Novo Recife
Foto: Divulgação O Consórcio Novo Recife, apresentou nesta quinta-feira (6), o redesenho do projeto urbanístico a ser implantado no Cais de Santa Rita, na área portuária da capital. As mudanças obedeceram diretrizes elaboradas pela Prefeitura do Recife, e da sociedade ao longo de audiência públicas, segundo o consórcio. O projeto mobilizou diversos agentes da sociedade, em seu em torno se criou muita polêmica. O Novo Recife, contempla polo de moradia, cultura, serviços, empresarial, hoteleiro e lazer entre os bairros de Santo Antônio e São José. Ao todo, 13 prédios serão construídos. Eles vão variar de 12 a 38 andares seguindo orientação de valorizar o Sítio Histórico do Bairro de São José. Paulo Roberto Barros, coordenador do redesenho do Projeto Novo Recife, falou sobre o novo modelo. "Uma mudança que implica em alterações estruturais para o Recife", comentou Paulo. Oito vias transversais serão construídas dentro do terreno e ao lado do forte das cinco pontas, áreas verdes serão instaladas. A partir desta apresentação que ocorreu em hotel da Zona Sul do Recife, a proposta vai ser apreciada em audiência pública, às 14h30 desta sexta-feira (7), na Fecap, com participação livre da população. Durante a apresentação, uma jornalista ligada ao Movimento Ocupe Estelita, foi impedida de acompanhar o encontro. Sofia Luchese, reclama. "Assim que eu cheguei na porta que é da assessoria de imprensa me recepcionou e disse que eu não poderia entrar", denunciou. Ela ainda se queixou que a audiência foi anunciada apenas com uma semana de antecedência e não com 15 dias, que seria o correto, segundo a jornalista. De acordo com o Consórcio Novo Recife, formado pelas empresas ARA Empreendimentos, Moura Doubeux Engenharia, GL Empreendimentos e Queiroz Galvão, ainda não há previsão para início das obras. Confira outros detalhes na reportagem de Rafael Carneiro: O Movimento Ocupe Estelita fez uma série de críticas ao processo de redesenho do Projeto Novo Recife e também à audiência pública sobre o assunto marcada para esta sexta-feira (7). Eles afirmam ainda que a convocação para a audiência pública marcada para a tarde de hoje, na Faculdade de Administracao da Upe, FCAP, na Madalena, foi feita de forma irregular. O movimento entrou com duas ações no Ministério Público solicitando o cancelamento da audiência e pedindo uma nova convocação. Eles também organizam um protesto em frente a FCAP com concentração no início da tarde. Um ato político com apresentações culturais está marcado para o dia 16 no Cais Jose Estelita. Em nota, a Prefeitura do Recife, afirmou que as normas definidas na legislação quanto ao prazo e disposição de material, aplicam-se a processos de licenciamento, e não a casos como este, de adequação de projeto.

Mais Lidas