Projetos "Pai não é Visita" e "Humanização do Parto" são lançados no estado


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 07/11/2014 às 11:56
Leitura:
Da Rádio Jornal De acordo com a Lei Federal Nº10.108, o SUS é obrigado a permitir a presença de um acompanhante, escolhido pela mulher, durante os processos pré-parto, parto e pós parto. Contudo, ainda há muita resistência das instituições de saúde e dos profissionais, no cumprimento dessa lei. A resistência é ainda maior no caso do acompanhante ser o pai. Nesse sentido, a campanha "Pai não é Visita", do Instituto Papai tem o objetivo de promover discussões e críticas sobre o descumprimento da lei, além de exigir do Governo, o respeito aos direitos do acompanhante. Outro problema é a respeito da humanização do parto, que é pouco conhecida e ainda pouco praticada, no Brasil. Por isso, em Pernambuco, como forma de incentivo, o Ministério Público lançou nesta sexta-feira (07), o projeto Humanização do Parto e Nascimento, que tem como objetivo cuidar melhor das mães. Escute na reportagem de Clarissa Siqueira, mais informações:

Mais Lidas