"Parece que as eleições não terminaram. É quase como um terceiro turno", diz Humberto Costa sobre ataques da oposição

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 12/11/2014 às 14:36
Leitura:
Foto: JC Imagem Foto: JC Imagem

O Congresso Nacional deu o primeiro passo para tentar regulamentar o direito de greve do serviço público, previsto na Constituição de 1988. Uma comissão formada por deputados e senadores aprovou ontem um Projeto de Lei com regras "mais brandas" para os trabalhadores que as discutidas inicialmente para disciplinar as paralisações do funcionalismo.

O projeto prevê que todos os serviços essenciais aos cidadãos devem manter pelo menos 60% do seu efetivo total em pleno funcionamento durante a paralisação dos funcionários

O líder do PT no Senado, Humberto Costa, conversou com Wagner Gomes na JC News. Ele apontou problemas quanto aos rumos do projeto, já que ele foi aprovado por uma comissão formada por uma designação do presidente do congresso nacional, que incluía deputados e senadores mas isso não representa proporcionalmente os partidos. "Isso significa que nós não temos nenhuma certeza de que esse projeto passará nessas condições". A proposta seguirá para a Câmara dos Deputados e, posteriormente, ao Plenário do Senado.

O senador acredita que ainda há espaço para muitas mudanças e discussões acerca do projeto. "Quando for à Câmara ou ao Senado haverá muitas emendas; os movimentos sindicais, sem dúvida, desejarão ser ouvidos; terão divergências em vários pontos", destacou. "Uma coisa importante é que devemos encontrar um ponto de equilíbrio entre o direito de greve, mas também no que diz direito na prestação do serviço público", apontou. Ele ainda acredita que o percentual de 60% pode ser alterado.

Durante a entrevista, o âncora repercutiu o clima no Congresso Nacional, após as eleições e diante do cenário de notícias negativas com relação à economia e as investigações da Operação Lava-jato. Ele disse que o clima é de tranquilidade, mas critica os ataques da oposição. "Naturalmente que a oposição continua na sua linha de produzir um enfrentamento permanente. Parece até que as eleições não terminaram, é quase como um terceiro turno", avaliou Humberto. Ele acredita que essa tensão deve se amenizar com o decorrer dos dias.

Com relação às informações negativas com relação ao momento da economia do Brasil, o senador defendeu. "Nós temos reconhecido que nós estamos vivendo um momento de dificuldade, o governo tem dado prioridade total a preservar o emprego, à criar condições para que haja desenvolvimento e crescimento econômico e a preservação da renda", detalhou as medidas que estão sendo adotados.

Confira a entrevista completa:

Mais Lidas