Título de capitalização é suspeito de comandar esquema de fraude e lavagem de dinheiro


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 12/11/2014 às 7:47
Leitura:
Da Rádio Jornal, com informações da Polícia Federal Atualizada às 15h 1badf7563f82c32684745c0e0b520fd3 Foto: Edmar Melo / JC Imagem

A partir de uma investigação policial no Rio Grande do Norte, a Polícia Federal em Pernambuco chegou a três grupos que cometiam diversos crimes financeiros em 13 estados do Brasil. Eles agiam na confecção e exploração de máquinas caça níquel, nos pagamentos de premiações de bicho, lavagem de dinheiro e emissão bilhetes de loteria, disfarçados de títulos de capitalização popular. A Operação Trevo baseada principalmente em Pernambuco, investigou em nove meses a prática que movimentou mais de R$ 1 bilhão fraudados nos últimos quatro anos.

No braço mais sofisticado, o conglomerado Dá Sorte, de origem pernambucana e com atuação em mais oito estados, utilizava a boa fé dos clientes e não repassava o valor garantido em lei para as instituições beneficentes.

A Ativa Brasil, com sede em Minas Gerais, era administrada por funcionários ligados ao grupo Dá Sorte, que em manobras fiscais transferiam milhões de reais em contas de laranjas. De acordo com a Polícia Federal, R$ 500 milhões deixaram de ser aplicados em ações sociais para retornar ao grupo Dá Sorte.

Um outro segmento estava baseado em São Paulo, comandado pela Chock Machine. Ela importava componentes ilícitos da China para confeccionar, distribuir e arrecadar dinheiro de máquinas eletrônicas programáveis.

O terceiro grupo era a banca A Paraibana, com sede em Pernambuco e movimentações em estados do Nordeste. O foco principal era o jogo do bicho, garantindo o pagamento de prêmios e promovendo a lavagem de dinheiro.

A Secretaria de Defesa Social do estado e a Receita Federal deram suporte nas investigações. Já estão presos um policial militar dono de várias casas de jogos de azar no estado e um ex-diretor da financeira Aplub, no Rio Grande do Sul. Mandados de prisão temporária e preventivas estão sendo cumpridos, assim como de busca e apreensão e sequestros de valores bens. Ao longo do dia, a PF vai divulgando os números atualizados.

A atividade de emissão e venda de bilhetes de loteria disfarçados de título de capitalização estão proibidos pela justiça a partir desta quarta-feira (12). Todas as constas e CPFs dos envolvidos estão bloqueados.

Mais Lidas