Apenas 12% dos pernambucanos ficaram sem CNH depois de serem flagrados em blitz

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 14/11/2014 às 14:50
Leitura:

opera-lei-seca Foto: acervo JC Imagem

A eficiência da Operação Lei Seca em multar quase 10 mil condutores por ano não é a mesma na hora de punir os infratores com a suspensão da permissão para dirigir, consequência maior da legislação criada para inibir a mistura danosa de álcool e direção. Apenas 12% dos condutores pernambucanos têm ficado sem a CNH por um ano depois de serem flagrados nas blitzes.

Em entrevista na JC News com Wagner Gomes, o diretor de fiscalização do Detran-PE, Sérgio Lins, explica que, de fato, a proibição da direção é a maior das penalidades. Pessoas relatam que inclusive fazem empréstimo para pagar o valor, mas reclama da proibição de um ano sem dirigir porque, muitas vezes, a direção está atrelada a atividades profissionais. O diretor defende revisão no Código de Trânsito Brasileiro que diz que é obrigatório cumprir todos os prazos de recursos da multa, mesmo que usuário não entre com defesa:

Mais Lidas