Em ato pacífico, oficiais de justiça denunciam casos de violência e cobram segurança

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 18/11/2014 às 14:30
Leitura:

Oficiais de justiça, federais, estaduais e da justiça do trabalho reivindicaram mais segurança durante uma mobilização nacional nesta terça-feira (18). Em Pernambuco, a ação aconteceu em frente ao Fórum Joana Bezerra, no centro do Recife.

Os profissionais entregaram flores brancas e com faixas pretas amarradas nos braços pediram o direito de portar armas de fogo e ter acesso aos equipamentos de proteção dos tribunais, a exemplo de coletes.

O protesto pacífico de mobilização nacional, foi pensado após a morte do oficial de justiça Francisco Pereira Ladislau Neto, 25 anos, assassinado enquanto trabalhava no Rio de Janeiro. Murilo Noronha, integrante do Sindicato dos Oficiais de Justiça denunciou que a categoria sobre riscos diariamente, em todos os cantos do país. É preciso que nós façamos esse protesto pra denunciar a precariedade, disse.

Em setembro, o oficial de justiça Ivo Wandark da Silva levou golpes de foice na cidade deS poção, agreste pernambucano. Ele foi ferido na cabeça e sofreu uma fratura exposta na perna, quando expedia uma intimação de medida protetiva pela Lei Maria da Penha. O acusado foi preso em flagrante, mas para o sindicato dos oficiais o fato justifica a categoria ter direito a posse de arma.

Durante o ato nas cidades brasileiras também foi entregue uma carta aberta, pedindo apoio a comunidade jurídica para as causas dos oficiais de justiça.

Clarissa Siqueira traz os detalhes:

Mais Lidas