Principio de rebelião deixa, pelo menos, seis pessoas feridas na Colônia Penal Feminina do Recife

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 19/11/2014 às 14:50
Leitura:

rebelião-2-1024x578 Foto: Williams Foto / Cortesia para a Rádio Jornal

A Secretaria de Ressocialização de Pernambuco abriu sindicância para apurar as causas de um princípio de rebelião, nesta quarta-feira (19), na colônia penal feminina do Recife, no bairro do Engenho do Meio, na Zona Oeste. Por volta das 8h, as detentas começaram um tumulto no pátio da penitenciária e queimaram colchões e entulhos próximo a central de gás. Os bombeiros e a Polícia Militar foram acionados para apagar as chamas e conter a confusão que terminou após 2h30. O Batalhão de Choque ainda entrou no local, mas saiu meia hora depois, afirmando que todas as mulheres já estavam dentro das celas e a situação normalizada. De acordo com o superintendente de Segurança Penitenciária, coronel Clinton Dias, o princípio de rebelião foi causado por problemas entre as detentas e dois agentes penitenciários, mas foi agravado após uma das reeducandas não aceitar um castigo.

rebelião-3-1024x578 Foto: Williams Foto / Cortesia para a Rádio Jornal

Seis mulheres foram socorridas com ferimentos ou mal estar para unidades de saúde próximas. Quatro delas, uma com tiro de bala de borracha na perna e outra com ferimento grande na cabeça, foram encaminhadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Caxangá. Dezenas de familiares das detentas, angustiados e sem muitas informações, esperavam notícias do lado de fora da colônia penal.

Os agentes penitenciários envolvidos na confusão continuam a trabalhar na penitenciária até o final da sindicância instaurada pela Secretaria. Outras denúncias das presas, a exemplo da qualidade da comida e da água, também devem ser investigadas.

Mais Lidas